O que é e como praticar a comunicação não violenta?

03/02/2020 às 10:47 PNL

O que é e como praticar a comunicação não violenta?

A comunicação é uma das habilidades principais em nossas vidas. Saber se comunicar é essencial para nos relacionarmos com família, amigos e colegas de trabalho.

Existem diversos tipos de abordagem, entre elas a que é o assunto deste texto: a comunicação não violenta.

Muitas pessoas não se preocupam em como outras pessoas recebem a nossa mensagem. Por isso, elas usam de falas e gestos mais agressivos, pensando que estão sendo compreendidas.

O problema é que esse tipo de comunicação mais raivosa acaba gerando ruídos na mensagem que queremos passar.

Por isso, a comunicação não violenta é importante para a compreensão por parte dos outros e para a construção de relacionamentos saudáveis.

O que é a comunicação não violenta?

A comunicação não violenta é uma espécie de abordagem pacífica que gera empatia com as outras pessoas. Assim, nós conseguimos de forma suave e coerente passar a mensagem que gostaríamos e ser bem compreendidos pelos outros.

Pense bem! Quando você é gentil e cordial com as pessoas, elas o entendem melhor. Se você fala pausadamente, você consegue passar melhor a sua mensagem, por mais que seja uma ordem ou um pedido.

Assim, você aumenta as chances de influenciar pessoas, o que é importantíssimo principalmente no meio corporativo.

Já quando somos agressivos, as pessoas não nos respeitam ou apenas nos obedecem e nos ouvem por medo. Essa é uma das principais diferenças entre um chefe e um líder, como já falamos em outros textos aqui do blog.

O líder constrói a sua autoridade pela influência, o chefe pelo poder do seu cargo.

Em estudos nos anos 60, o psicólogo americano Marshall Rosenberg formulou o conceito de comunicação não violenta, que se baseia nos princípios da não-violência.

Um dos líderes mais notáveis do mundo, o religioso Mahatma Gandhi, fez uso da comunicação não violenta para conseguir livrar a Índia da colonização britânica.

Gandhi aguentou a prisão e levou todo o seu discurso para uma comunicação que não exaltava a violência, como na grande maioria das revoluções e protestos pelo mundo.

E sem dar um tiro ou falar agressivamente, Gandhi conseguiu libertar a sua terra natal do julgo dos ingleses.

Em seus estudos, Rosenberg concluiu que a violência não é algo normal para o ser humano. Em outras palavras, não nascemos violentos, isso não faz parte da nossa natureza.

Então somos ensinados e encorajados a praticar a violência em nossa sociedade.

Você precisa melhorar sua comunicação? Conheça o nosso Curso de PNL.

Como praticar a comunicação não violenta?

A comunicação não violenta pode ser usada a qualquer momento da nossa vida. O indivíduo precisa ter vontade para criar esse hábito e conseguir mudar a sua forma de se comunicar com os outros.

Rosenberg afirma que existem quatro pilares para a comunicação não violenta:

  • Observação – O ato de observar pessoas sem emitir nenhum tipo de julgamento.
  • Sentimento – O ato de conseguir controlar e observar as emoções que surgem durante um diálogo.
  • Necessidade – O motivo pelo qual você está falando com uma pessoa.
  • Pedido – O ato de pedir ou mostrar a alguém algo que você deseja claramente para não haver ruídos na comunicação.

Para desenvolver cada um desses quatro pilares, será preciso muita prática. Apenas observando os próprios atos, você consegue implementar esse lado mais racional para desenvolver a comunicação não violenta.

Como é possível exercitar a comunicação não violenta a qualquer momento, é fundamental que você a ponha em prática nas suas próximas conversas.

Assim, você conseguirá desenvolver esse tipo de abordagem, garantindo que você seja mais bem compreendido e compreenda outras pessoas.

Com o tempo, o hábito de se comunicar com mais sobriedade ficará mais natural, e você irá notar que ele consegue melhorar os seus relacionamentos.

Uma das características da comunicação não violenta é gerar empatia, conectando você a outras pessoas de uma forma mais natural.

Confira mais dicas para implementar a comunicação não violenta:

Baixe a guarda para criar uma conexão com as outras pessoas

Muitas vezes ao nos comunicarmos, nos mostramos nervosos ou irredutíveis em nossas posições. A prática de “baixar a guarda” significa se mostrar mais receptivo.

Assim, você facilita a compreensão e compreende melhor a opinião e a necessidade dos outros.

Crie conexão de imediato

Uma das maneiras de criar uma conexão de imediato e gerar empatia é usar a técnica de rapport.

Nesse método, você consegue escanear as falas e os gestos da outra pessoa, garantindo que você tenha movimentos semelhantes ao dela.

Dessa maneira, é possível passar confiança rapidamente para a outra pessoa. Mesmo com desconhecidos, ao usar este método, você notará que as pessoas ficarão muito mais abertas e se expressarão com muito mais tranquilidade, além de estarem mais receptivas e interessadas na sua mensagem.

Desenvolva a inteligência emocional

A inteligência emocional é uma habilidade essencial em nossas vidas. Através dela, é possível assimilar as próprias emoções e melhorar a nossa forma de se expressar e de compreender outras pessoas.

O conhecimento das técnicas de PNL pode ajudar bastante no desenvolvimento da comunicação não violenta.

Isso acontece através do desenvolvimento de outras habilidades importantes para a comunicação. Faça já uma formação de Practitioner em PNL no IBND!

Gostou? Confira mais dicas em nosso blog. Conheça o nosso Curso de PNL.


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 10 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 15 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®