A PNL pode ser um instrumento de diferenciação para advogados

03/02/2022 às 20:31 Dicas

A PNL pode ser um instrumento de diferenciação para advogados

Sem dúvidas, um bom profissional do ramo da advocacia que queira se destacar no seu mercado de trabalho e perante os clientes com os quais terá contato durante toda a sua jornada de vida profissional, deve possuir características como: 

  • Capacidade técnica.

  • Boa comunicação. 

  • Poder de persuasão.

  • Criatividade.

  • Pró atividade.

  • Inteligência emocional.

  • Além de ser bom em resolver conflitos. 

Mas, como profissional que busca a excelência, você sabia que a Programação Neurolinguística, ou simplesmente PNL,  pode ser um instrumento de diferenciação para advogados? 

Exatamente isso. Um bom profissional do ramo jurídico não é só aquele que conhece muito bem as leis do seu país.

Neste conteúdo do IBND (Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento) queremos ajudar você, advogado, a alcançar o seu crescimento profissional através desta ferramenta tão poderosa.

Confira a seguir as orientações poderosas que temos para te passar!

Um breve resumo sobre o que é a PNL

A Programação Neurolinguística é um importante conjunto de técnicas que visa estabelecer uma melhora considerável nos comportamentos de um indivíduo, bem como em sua comunicação, que o estejam impedindo de alcançar os resultados desejados. 

Muito além de simples instruções e regras, a PNL tem como foco fazer uma espécie de reprogramação da mente a fim de ajudar o indivíduo a alcançar o desenvolvimento, tanto pessoal como profissional. 

Dentre os principais benefícios da PNL para advogados, podemos citar:

  • A construção de padrões de comportamento;

  • Maior equilíbrio emocional;

  • Clareza para identificar metas e objetivos;

  • Maior facilidade para resolver conflitos;

  • Melhora da comunicação;

  • Foco nos resultados em vez de nos problemas;

  • Escolhas mais conscientes. 

Como visto, a PNL pode gerar transformações positivas que podem ser aplicadas dentro da rotina de trabalho de advogados que, logicamente, devem aprender a se expressar com assertividade e de modo persuasivo em alguns contextos. 

Afinal, esta ferramenta pode ser um grande diferencial em momentos de negociação e criação de argumentos. 

Como usar a PNL em uma negociação?

Para influenciar e persuadir um cliente durante uma negociação, por exemplo, é preciso, antes de tudo, criar um relacionamento com ele. E para que você se torne o melhor nesta habilidade, a PNL tem a resposta: criar Rapport.

Rapport é uma palavra de origem francesa, que significa “criar uma relação”. E fato é que, nós seres humanos, estamos mais propensos e dispostos a dar abertura quando confiamos na outra pessoa, seja por uma questão de afinidade ou pela própria autoridade que o outro transmite.

E como aprender as técnicas da PNL?

Como aplicar a PNL para advogados de forma prática? 

Abaixo listamos três técnicas para que você as utilize em seu próximo atendimento e comece, finalmente, a alcançar os resultados que espera:

  1. Seja um espelho!

Uma das técnicas mais famosas para estabelecer rapport é o espelhamento. Esta técnica defende que é possível criar uma conexão com outra pessoa simplesmente “copiando”, ou melhor, espelhando sua linguagem verbal e corporal.

É lógico, que esta “imitação” deve ser sutil. 

Ou seja, sutilmente você passará a imitar os gestos, tom de voz, expressões faciais e energia da outra pessoa, gerando, inconscientemente, uma aproximação.

Esta similaridade faz com que o cérebro entenda que há uma identificação entre essas duas pessoas e, por isso, nosso inconsciente deduz que, sendo igual ou muito parecida, então podemos confiar no outro. 

  1. Crie metáforas!

Outra boa maneira de gerar rapport é buscar adaptar sua linguagem a do seu cliente. 

Sobretudo na área de direito  onde os profissionais aprendem muitos termos e palavras isso pode parecer difícil, mas, nem sempre, usar expressões do seu ramo de trabalho irá gerar conexão.

Ao falarmos a linguagem do nosso ouvinte, adaptando a nossa linguagem ao universo dele, conseguimos criar um ambiente de identificação. Com isso, o cliente passa a confiar em você justamente por ter aberto outra janela similar. 

  1. Pergunte antes de argumentar!

É do instinto humano argumentar antes mesmo de fazer perguntas. Mas tente fazer o inverso, use a técnica de “Perguntas Metamodelos” que é a arte de fazer perguntas abertas e descobrir os reais interesses da outra pessoa. 

Ao fazer perguntas fechadas como “você deseja fechar o acordo?”, infelizmente, você permanecerá obtendo respostas simples como os famosos “sim” e “não”, que pouco ajudarão na investigação do real interesse do cliente.

Perguntas como “O que falta para fecharmos o acordo?” ampliam o campo de possibilidades, gerando no potencial cliente a obrigação de refletir e se conscientizar ao dar a resposta. 

Nesse momento, você passa a descobrir os interesses reais dos clientes por trás da sua posição. 

Ficou desejando colocar tudo isso em prática para crescer profissionalmente? Não perca tempo e conheça o curso de PNL do IBND, onde você irá aprender como se tornar um profissional que compreende melhor a si mesmo e aos outros. 


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK