Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK

Obesidade e ansiedade podem caminhar juntas

05/06/2020 às 09:15 Hipnose

Obesidade e ansiedade podem caminhar juntas

O número de obesos no Brasil aumentou 67,8% entre 2006 e 2018. Os dados são da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas, que foi encomendada pelo Ministério da Saúde. Como o aumento do peso pode ser precursor de diversas doenças, dentre elas diabetes e cardiopatias, esse índice se torna preocupante.

Mas porque que a obesidade vem aumentando no país? Esse problema de saúde pode estar ligado a diversos fatores. Dentre eles, ao estresse e à ansiedade, algo que também vem afetando a população. É por isso que, tratar a mente, muitas vezes, também ajuda quem quer perder peso e não consegue.

Conheça mais sobre a doença e veja como a hipnose pode contribuir para a perda de peso!

O que é obesidade?

Trata-se de uma doença que tem como a principal característica o acúmulo de gordura no corpo. No geral, a obesidade é tida como um fator de risco para diversas problemas de saúde e isso pode ser visto atualmente.

Já é comprovado que o indivíduo obeso tem maiores riscos de ter complicações se for acometido pelo coronavírus.

O curioso é que, ao mesmo tempo, muitas pessoas têm se queixado de ganhar peso durante o período de quarentena. Algumas delas por estarem fazendo menos exercícios.

Porém, muitas delas podem ficarem ansiosas e preocupadas com a pandemia e, consequentemente, comerem mais e compulsivamente.

Para que você consiga saber se está ou não obeso, é só fazer um cálculo simples. Divida seu peso por sua altura ao quadrado e encontre o seu  IMC (Índice de Massa Corporal). Vamos supor que você tenha, por exemplo, 1,70 m e 70 kg. Nesse caso o cálculo será:

  • 1,70 (altura) x 1,70 = 2,89 (altura ao quadrado
  • Peso dividido pelo quadrado da altura: 70 / 2,89 = 24,22

O número do IMC dessa pessoa é 24,22. Para saber se a pessoas sobre com a obesidade ou não siga as seguintes regras:

  • IMC menor a 18,5: a pessoa está com o peso abaixo do desejado;
  • IMC entre 18,5 e 24,9: a pessoa tem o peso normal;
  • IMC  entre 25 e 29,9: o indivíduo está acima do peso considerado saudável;
  • IMC entre 30 e 30,9: indivíduo com obesidade;
  • IMC maior do que 40: pessoa portadora de obesidade mórbida.

Causas da obesidade

O ganho de peso pode estar ligado a vários fatores, que vão desde os genéticos, até crises de ansiedade, por exemplo. 

Os genes podem influenciar na quantidade de gordura que o organismo armazena e também no desempenho do seu organismo na hora de converter alimentos em energia.

Há também problemas médicos, como a síndrome de Prader-Willi e a síndrome de Cushing, que podem levar o indivíduo ao sobrepeso.

Contudo, na sua maioria, as causas da obesidade estão ligadas a:

  • Estilo de vida da família, como um todo: com alimentação incorreta e sedentarismo;
  • Alimentação: em quantidades muito grandes ou com teor calórico alto;
  • Idade: metabolismo mais lento devido à idade mais avançada;
  • Parar de fumar: a ansiedade pela falta do cigarro pode levar a pessoa a comer mais e engordar;
  • Insônia: dificuldade para dormir pode alterar os hormônios que regulam o apetite e, consequente, levar a um aumento de peso;
  • Estresse e ansiedade: há uma tendência em comer mais e pior quando a pessoa está ansiosa, o que leva a uma aumento de peso.

Problemas emocionais x obesidade

Embora seja sabido que a ansiedade e a obesidade, muitas vezes tenham uma ligação, ainda não há uma só causa determinada pela ciência. É comum que pessoas que sofram com a ansiedade relatem que acabem comendo mais e engordem por isso.

Ao mesmo tempo, se a pessoa ganha alguns quilos acaba se cobrando por não estar dentro dos padrões impostos pela sociedade.

A consequência pode ser o desenvolvimento de dificuldades emocionais como:

  • baixa autoestima;
  • instabilidade emocional;
  • impulsividade.

Isso, muitas vezes, vai se agravando e a pessoa pode até chegar a um quadro depressivo. Assim se forma um ciclo.

Ao mesmo tempo em que o indivíduo começa a se sentir mal porque ganhou peso ao comer mais quando estava ansioso, a mudança em seu corpo faz com que ele fique emocionalmente ainda mais abalado. Em quadros mais complicados, o ele pode apresentar também sinais fisiológicos como:

  • taquicardia;
  • taquipneia;
  • tremor;
  • tensão muscular;
  • alterações gastrointestinais e psicológicas.

Como tratar a obesidade e perder peso?

Há várias maneiras de perder peso e tudo vai depender da origem do problema. Veja algumas atitudes que podem ser tomadas.

Mudança na alimentação

Deixar de ingerir muitas massas, doces e refrigerantes é fundamental. Comer alimentos saudáveis, com frutas, legumes, verduras e carnes magras é um grande passo para a mudança de peso.

Além disso, é preciso diminuir a quantidade e evitar ficar “beliscando” durante o dia. Estabelecer horários para se alimentar, a cada três horas, é a melhor alternativa.

Praticar de atividade física

Além de se alimentar melhor, praticar atividade física, para queimar calorias, é importante. É possível começar com caminhadas leves, depois passar a pular cordas ou pedalar.

Quem puder, deve procurar uma academia para ter a orientação necessária e acelerar a queima de peso.

Medicamentos e cirurgias

Em casos mais sérios, ao procurar o médico ele pode prescrever o uso de medicamentos para perder peso. Embora esse não seja o caminho mais indicado, muitas vezes, passa a ser a alternativa com resultados mais rápidos.

Há também a possibilidade da realização de um procedimento cirúrgico, chamado de cirurgia bariátrica, que consiste na diminuição do tamanho do estômago.

Essa alternativa sempre deve ser a última dentre as possibilidades.

Hipnose pode ajudar a perder peso e combater a obesidade

Comer melhor, preferir os legumes a uma pizza e começar a se exercitar diariamente pode até parecer fácil, mas quem está acima do peso sabe que não é bem assim.

Quantas vezes, a pessoa começa a se alimentar bem na segunda e a ansiedade é tanta, que na terça ela quebra a dieta?

É por isso que, quem quer ter sucesso, precisa cuidar também da mente e a hipnose pode ajudar nisso. A técnica trabalha com a reprogramação mental.

Dessa forma, consegue identificar o que está no subconsciente da pessoa, que sofre com a obesidade, que dificulta com que ela mude o estilo de vida. Além disso, a hipnoterapia pode levar ao:

  • Autoconhecimento;
  • Desenvolvimento da autoestima;
  • Maior equilíbrio dos sentimentos;
  • Controle da impulsividade;
  • Diminuição da ansiedade;
  • Foco no pensamento positivo.

Durante a sessão de hipnoterapia, o profissional também pode deixar sugestões de práticas mais saudáveis, para que quando a pessoa retorne do transe, possa ter mais facilidade de, naturalmente, mudar o estilo de vida.

A hipnose oferece resultados rápidos e pode ser usada sozinha ou junto a outros tratamentos para o tratamento da obesidade.

O autoconhecimento, que você pode conquistar como  a hipnose, também influencia na vida profissional. Saiba mais!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 10 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 15 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®