Como tratar a fibromialgia.

09/06/2022 às 14:04 Hipnose

Como tratar a fibromialgia.

Dados da Associação Brasileira de Reumatologia apontam que cerca de 3% da população brasileira convive diariamente com os sintomas da fibromialgia. Sendo que a cada dez pacientes, de sete a nove são mulheres. 

A fibromialgia é uma doença de caráter crônico que vem apresentando um crescimento exponencial em diagnósticos nos últimos anos. E a pergunta que fica em relação a essa doença, tanto para pacientes quanto para médicos, é a seguinte: “Afinal, como tratar a fibromialgia?”.

Apesar de ainda não existir cura para essa patologia, determinadas alternativas terapêuticas podem ajudar na redução e controle da dor, tal como no caso da Hipnose Clínica que vêm demonstrando bons resultados no tratamento de clientes fibromiálgicos.

Ficou curioso e quer saber mais sobre o assunto? Seja você a pessoa que sofre com a doença ou mesmo um profissional de saúde que busca alternativas para tratar a fibromialgia de seus pacientes, temos certeza de que esse conteúdo poderá ser de grande utilidade.

Portanto, não deixe de acompanhá-lo até o final. Boa leitura!

Vamos conhecer mais sobre essa doença crônica!

Antes de adentrarmos ao tema de maior interesse e, finalmente, conhecer o uso da Hipnose para tratar a fibromialgia, logicamente, é preciso conhecer mais sobre a doença. Vamos lá?

O que é a fibromialgia?

A fibromialgia é uma doença que tem como principal característica a dor crônica em distintas partes do corpo. Essas dores estão localizadas, principalmente, nas regiões dos tendões, articulações e músculos.

Apesar de poder atingir ambos os sexos, a fibromialgia é prevalecente entre o público feminino, principalmente acima dos 35 anos e trata-se de uma síndrome, visto que, além de causar dores, ainda envolve diversas manifestações clínicas.

A dor da fibromialgia costuma ser bastante intensa e, em muitos casos, pode até mesmo incapacitar o indivíduo por determinados períodos de tempo, sem, entretanto, provocar deformidades físicas. 

Dentre os principais pontos de dor fibromiálgicos, destacam-se os seguintes: tórax, cervical, abdômen, lombar, ombros, mandíbula, quadril, pernas e braços. 

Sinais e sintomas

Apesar de a dor intensa ser o sintoma mais comum para apontar um quadro clínico de fibromialgia, alguns outros sintomas também podem estar presente, tais como:

  • Indisposição e falta de energia;

  • Cefaleias (dores de cabeça intensas);

  • Problemas cognitivos como falta de concentração e de foco;

  • Distúrbios do sono como insônia e apneia;

  • Dor ao urinar;

  • Sensação de inquietude nas pernas, especialmente antes de dormir;

  • Sensação de formigamento nos pés e nas mãos;

  • Problemas psicoemocionais como ansiedade e depressão.

Em alguns casos, a fibromialgia também pode gerar a síndrome do cólon irritável - um problema gastrointestinal que gera dor abdominal, diarreia e prisão de ventre. 

Quais as suas causas?

Como grande parte das doenças reumatológicas, os mecanismos que desencadeiam a fibromialgia ainda não são entendidos de forma exata pela comunidade médica e científica. Atualmente, o que se especula é que pacientes fibromiálgicos têm maior sensibilidade à dor.

Ou seja, não se sabe o que causa a fibromialgia, apenas que o funcionamento do cérebro, dos nervos e da medula fazem com que o estímulo doloroso aconteça de forma muito mais intensa.

Dessa forma, todas as possíveis causas da doença tratam-se de hipóteses. E uma dessas hipóteses afirma que a fibromialgia seria uma doença genética, visto que costuma ser mais incidente em pacientes com casos da doença na família. 

Outro ponto hipotético de grande relevância afirma que a síndrome é mais recorrente entre pessoas que passaram por casos graves de traumas psicológicos e físicos. 

Nesse sentido, especula-se que essas situações traumáticas e estressantes liberem hormônios específicos no organismo, responsáveis por certos desequilíbrios no sistema nervoso que mudam a forma com que ele reage à dor, tornando-se mais sensível aos estímulos.

Existe cura para a fibromialgia?

Apesar de não existir uma cura para tratar a fibromialgia, alguns tratamentos podem auxiliar na diminuição da dor e sintomas da doença. Lembrando que o tratamento deve ser multidisciplinar, podendo combinar medidas farmacológicas e não-farmacológicas, como fisioterapia, e terapias não convencionais como a hipnoterapia

Algumas medidas que têm se mostrado muito eficazes para “tratar” a fibromialgia são:

  • Uso de analgésicos e anti-inflamatórios;

  • Uso de medicamentos antidepressivos e anticonvulsivantes, utilizados para aumentar os níveis de neurotransmissores;

  • Prática de exercícios físicos;

  • Massagens e técnicas de acupuntura;

  • Fisioterapia.

A hipnose para tratar a fibromialgia é eficiente?

Apesar de ainda não ser tão mencionada para o tratamento de doenças, a hipnose traz grandes resultados a quem recorre a ela desde as primeiras sessões.

Como dito anteriormente, a fibromialgia pode estar relacionada a fatos emocionais e traumas “engavetados” no subconsciente. Portanto, para tratar a fibromialgia pode ser necessário não cuidar apenas da parte física, mas também psicológica da doença. 

Desse modo, o hipnoterapeuta poderá ajudar seu cliente a acessar eventos passados através da técnica de regressão, para, desta forma, ressignificar eventos que geraram traumas e, consequentemente, a doença crônica. 

Mas não para por aí!

A técnica do controle da dor

Frequentemente, na formação em hipnose do IBND (Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento), o trainer Rodrigo Huback, além de ensinar as principais técnicas da hipnose clínica, as utiliza em seus alunos como uma forma de demonstração prática.

No caso de uma aluna que sofria com fibromialgia, utilizou a técnica de controle de dor que funciona da seguinte forma. 

Após colocar o cliente em um estado profundo de relaxamento, pede-se que a pessoa dê uma nota para sua dor de 0 a 10.

A ideia consiste em, primeiramente, intensificar a dor desse cliente. Assim, se ele deu nota 5 a sua dor, devemos aumentá-la progressivamente de cinco para seis, de seis para sete - logicamente com permissão do indivíduo. 

Mas por que aumentar a dor? Pois dessa forma o sugestionamos que é plenamente possível controlar o nível de dor por ele sentido. Ou seja, o aumento do nível de dor trata-se de um Yes-set, é um  momento onde o hipnoterapeuta constata se os comandos dele estão sendo respondidos pelo cliente. 

Depois disso, faz-se o sentido inverso, onde progressivamente o hipnoterapeuta irá reduzir e eliminar essa dor, levando a nota mínima que seria o zero.

Atenção!

Logicamente, a hipnose pode ser bastante eficiente para controlar as dores decorrentes da fibromialgia ou qualquer outro transtorno. Contudo, é sempre importante que o hipnoterapeuta alerte seu cliente para a importância e necessidade de um acompanhamento médico. 

Afinal, a hipnose deve ser vista como uma terapia auxiliar no tratamento de doenças.  A investigação profunda das causas das dores físicas devem ser acompanhadas junto ao médico e, nesse caso, a terapia por hipnose poderá ser grande aliada no tratamento. 


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK