Sinais de que estou em um relacionamento abusivo

20/03/2020 às 09:59 Dicas

Sinais de que estou em um relacionamento abusivo

Muitas pessoas vivem relacionamentos abusivos e não conseguem perceber. Isso pode acontecer em qualquer tipo de relação, seja um namoro ou um casamento ou mesmo em uma amizade ou relação familiar.

Por conta dos sentimentos que temos por outras pessoas, acabamos por aceitar ações que não saudáveis para a relação.

Para evitar riscos maiores, é importante que sempre estejamos atentos para possíveis sinais de um relacionamento abusivo.

Estes casos estão cada vez mais comuns porque as pessoas estão tomando mais cuidado e denunciando parceiros, amigos e familiares que lhes fazem mal.

Confira abaixo alguns sinais que evidenciam um relacionamento abusivo:

Perseguição e monitoramento

Pessoas com comportamento abusivo costumam ser eximias perseguidoras. Por nutrir dúvidas ou ciúmes de parceiros, amigos e familiares, acabam adotando o hábito de monitorar a outra pessoa.

E isso tanto pode acontecer fisicamente como virtualmente. Existem pessoas que seguem outras, quando estas estão indo simplesmente ao shopping ou ao mercado. Qualquer mínima desconfiança é motivo para monitorar o outro.

Outro meio de perseguição que ficou bastante popular nos últimos anos é o virtual.

Muitas pessoas acabam querendo ter a senha do celular de seus parceiros, e quando conseguem, pegam o aparelho para ver mensagens em todas as redes sociais, principalmente em aplicativos de mensagem como o WhatsApp.

Em outras redes, estas pessoas abusivas adotam o comportamento do chamado “stalker”.

Elas estão sempre checando todas as interações do parceiro em redes sociais como o Facebook e o Instagram. Ficando de olho em comentários, novos seguidores, novas curtidas, etc.

Estes stalkers ainda possuem a característica de criar perfis fakes para testar o parceiro. Assim, eles conseguem conversar para testar o parceiro em relação a fidelidade e outras coisas mais.

Também existem aqueles que sempre estão falando com você, mesmo que você esteja longe. Ás vezes, você está no trabalho e demora a responder, e nota que a pessoa fica mandando mensagens constantes e que ela fica irritada com a sua demora.

Este é um tipo de comportamento abusivo. Um relacionamento saudável é baseado na confiança e na liberdade,

Já parou para pensar que podem existir barreiras “invisíveis e inconscientes”, que bloqueiam a sua permanência e felicidade nos relacionamentos?

Sempre tenta te diminuir

Outra característica comum de um relacionamento abusivo é quando uma pessoa tenta lhe diminuir constantemente. Isso pode acontecer de algumas maneiras diferentes.

A intenção deste tipo de comportamento é destruir a autoestima e gerar constrangimento.

Existem muitas pessoas que gostam de constranger seus parceiros em lugares públicos. Em roda de amigos, esta pessoa faz piadas que te deixam desconfortável ou tenta resolver questões pessoais em público.

Outra maneira de tentar diminuir o outro é apelar para a baixa autoestima do parceiro. Ás vezes, o abusador é responsável por gerar essa baixa autoestima.

Isso acontece quando alguém sempre se coloca acima, por ter mais dinheiro, por querer sempre dar ordens, por sempre citar alguma situação específica que seja desagradável.

Esse é uma característica de um relacionamento abusivo. A tentativa de diminuir o outro consiste na vontade de assumir o controle da relação e isso é bastante perigoso.

Conheça o nosso Curso de Constelação Familiar.

Está sempre tentando mudar o seu jeito

Tentar mudar o jeito da outra pessoa é uma forma de abuso. Muitos homens, por exemplo, tentam mudar a forma de se vestir ou se maquiar de suas parceiras, buscando fazer com que elas chamem “menos atenção” e se adaptem a um modelo de vestimenta que ele acha correto.

É importantíssimo ter a noção de que você não pode querer mudar o jeito de outra pessoa a qualquer custo.

Essa é uma ilusão que muitas pessoas possuem, conhecem o parceiro e acreditam que depois de um namoro ou casamento, vão conseguir mudar o jeito do outro.

Isso não é nem um pouco saudável. Cada um tem seu jeito de ser. E não estamos falando de ajudar o outro a mudar algum hábito, isso muitas vezes acontece no relacionamento, mas tem que ser motivado pela outra pessoa. Como por exemplo, uma vontade ou necessidade de emagrecer, você pode ajudar o parceiro a ter uma alimentação mais saudável.

Agora, querer colocar uma pessoa em uma “caixinha”, moldar o outro de acordo com a nossa vontade é algo irresponsável e abusivo.

Se existem pessoas que tentam fazer isso com você, é mais que uma prova de que você se encontra em um relacionamento abusivo.

Usa argumentos para justificar o comportamento

Uma característica comum de pessoas abusivas é que elas estão sempre tentando justificar os seus atos de alguma forma.

Alguns colocam a culpa no estresse diário, outras pessoas colocam a culpa em vícios como bebida alcóolica e outras drogas como a cocaína, por exemplo.

Assim, sempre que a pessoa é agressiva, rude e grosseira, ela acaba se justificando posteriormente. Aquele tradicional: “Eu só fiz isso por que estava bêbado” ou “Desculpa, o dia foi cheio e acabei descontando minha raiva em você”.

O pior disso tudo é o que os atos de agressividade sempre se repetem, e na maioria das vezes, se intensificam com o tempo.

Isso é extremamente perigoso! Você está colocando a sua vida em risco ao permanecer em um relacionamento com uma pessoa deste tipo.

O ideal é que você procura ajuda de autoridades e ajuda psicológica para se sentir mais seguro (a) e conseguir se recuperar de possíveis traumas causados durante o relacionamento.

O coaching e a PNL podem lhe ajudar a desenvolver habilidades que lhe ajudem a identificar as causas destes traumas, ressignificando seus medos e trazendo mais clareza para o seu potencial e o seu valor.

Você pode ler as dicas para ter relacionamentos saudáveis ou até mesmo procurar um Coach de Relacionamento.


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 10 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 15 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®