Quem foi Simone de Beauvoir? Saiba mais sobre a pensadora feminista

30/10/2021 às 14:59 Hipnose

Quem foi Simone de Beauvoir? Saiba mais sobre a pensadora feminista

Uma das filósofas de maior contribuição para a libertação da desigualdade entre os gêneros, construída socialmente, Simone de Beauvoir possui extensa produção. Você conhece as idéias dessa autora? Então vem dar uma olhada conosco!

Quem foi Simone de Beauvoir?

Simone de Beauvoir, nascida Simone Lucie-Ernestine-Marie Bertrand de Beauvoir em 9 de janeiro de 1908 em Paris, foi uma escritora, intelectual, filósofa existencialista, ativista política, feminista e teórica social. Embora não se considerasse uma filósofa, De Beauvoir teve uma influência significativa tanto no existencialismo feminista quanto na teoria feminista.

A família Beauvoir

Simone era a primogênita de duas irmãs, filha de um casal descendente de famílias tradicionais, porém em situação de decadência. Seu pai era um advogado ex-membro da aristocracia francesa, enquanto sua mãe era membro da alta burguesia francesa.

Por influência da família, Beauvoir estudou em uma escola católica privada até os 17 anos. Depois de passar no vestibular para matemática e filosofia, acabou optando por estudar matemática no Instituto Católico de Paris e literatura e língua no colégio Sainte-Marie de Neuilly.

Em seguida, Beauvoir estudou filosofia na Universidade Sorbonne de Paris, onde conheceu outros pensadores intelectuais como Maurice Merleau-Ponty, René Maheu e Jean-Paul Sartre, com quem manteve um relacionamento aberto por toda a vida.

Produção de Simone de Beauvoir

Simone de Beauvoir escreveu muitos romances, contos, ensaios, biografias, autobiografia e monografias sobre filosofia, política e questões sociais. É conhecida pelo seu tratado O Segundo Sexo de 1949, além de seus romances A Convidada e Os Mandarins.

Lecionou em diversas instituições escolares entre 1931 e 1943, onde integrou um círculo de filósofos literatos que conferiam ao existencialismo um aspecto literário, focando nos elementos mais importantes da filosofia existencialista. Além disso, a autora esteve envolvida, juntamente com Sartre e Foucault, no polêmico manifesto que tinha por objetivo alterar a idade de consentimento para relações sexuais na França.

Principais obras

Dentre as principais obras de filosofia, política e sociologia escritas por Simone de Beauvoir, podemos citar:

  • A Convidada (1943)
  • O Sangue dos Outros (1945)
  • O Segundo Sexo (1949)
  • Os Mandarins (1954)
  • Memórias de uma moça bem-comportada (1958)
  • Uma Morte Suave (1964)
  • A Mulher Desiludida (1967)
  • A Velhice (1970)
  • Tudo Dito e Feito (1972)
  • A Cerimônia do Adeus (1981)

O Segundo Sexo

O livro O Segundo Sexo de Simone de Beauvoir foi publicado em francês, e busca apresentar um existencialismo feminista que prescreve uma revolução moral. Beauvoir acreditava que a existência precede a essência, ou seja, não se nasce mulher, mas torna-se. Beauvoir vê o gênero como uma construção social e identifica como fundamental a opressão das mulheres na sociedade. Para ela, as mulheres são tão capazes de escolher quanto os homens e que, portanto, podem optar por elevar-se, movendo-se para além da “imanência”, para alcançarem a “transcendência”, uma posição na qual um indivíduo assume a responsabilidade para si e para o mundo, a partir da qual escolhe sua liberdade.

Querer ser livre

Dentre as reflexões de Simone de Beauvoir, destaca-se a liberdade como preocupação fundamental da autora, que abordou o tema no livro Por uma Moral da Ambiguidade. A autora destaca que querer ser livre é também querer livres os outros, o que embasou sua forma de se relacionar, ilustrada pelo relacionamento aberto que mantinha com Jean Paul Sartre, cuja proposta era não se amarrarem um ao outro.

Viver é envelhecer, nada mais

A velhice também foi uma das inquietações de Simone de Beauvoir. Em 1970, aos 60 anos de idade, publicou A Velhice, no qual tratou do assunto não apenas como algo biológico, mas cultural, onde questiona a desumanização da velhice e a sexualidade tolhida das idosas.

Ninguém nasce mulher: torna-se mulher

Uma das frases mais clássicas de Simone de Beauvoir, retirada de seu livro O Segundo Sexo, refere-se ao fato de que nenhum destino biológico, psíquico ou econômico define a forma que a fêmea humana assume no seio da sociedade. Segundo ela, é o conjunto da civilização que elabora esse produto intermediário entre o macho e o castrado que qualificam o feminino.

Assim, a autora faz uma distinção entre sexo e gênero. O primeiro sendo um fator biológico, ligado à constituição físico-química do corpo humano, e o segundo construído pela sociedade. Ser homem ou mulher não é algo dado natural, mas algo performático e social, que ao longo da história, cada cultura criou padrões de ação e comportamento determinados aos tipos de gênero, o que pode gerar opressão e impactar na qualidade de vida das mulheres.

O opressor não seria tão forte se não tivesse cúmplices entre os próprios oprimidos

Com esta frase, Simone de Beauvoir escreve sobre a hierarquia social do gênero masculino e a cumplicidade feminina com sua própria opressão. O estudo foi um pontapé para diversas vertentes feministas se debruçarem sobre a questão e buscarem formas de resolver as desigualdades entre os gêneros.

Simone de Beauvoir na atualidade

Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir são atualmente autores muito importantes para diversos movimentos sociais contemporâneos, tais como os movimentos feministas e da comunidade LGBTQIA+ que trabalham com a reivindicação da liberdade de construção e reconhecimento de suas identidades. Faz parte dos movimentos, combater a ideia de que a mulher, devido às suas roupas ou comportamento, seria culpada pela violência sofrida, e estabelecendo que não cabe ao homem nem ao Estado ditarem as normas de comportamento feminino. Cabe a eles, pelo contrário, ajudar na luta contra a cultura do estupro e no aumento da resiliência destas mulheres e minorias.

 

E você, gostaria de atualizar-se para promover qualidade de vida e humanização em saúde? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK