Psicodrama: descubra tudo sobre esta linha terapêutica

26/10/2021 às 16:04 Coaching

Psicodrama: descubra tudo sobre esta linha terapêutica

No blog do IBND (Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento) trazemos com bastante frequência diferentes tipos de terapia, das mais antigas as mais recentes, tal como a Hipnoterapia. E hoje falaremos sobre uma experiência inovadora nascida na década de 1920: o Psicodrama!

“Um Encontro de dois: olhos nos olhos, face a face. E quando estiveres perto, arrancar-te-ei os olhos e colocá-los-ei no lugar dos meus; E arrancarei meus olhos para colocá-los no lugar dos teus; Então ver-te-ei com os teus olhos e tu ver-me-ás com os meus.” (J.L.Moreno)

A citação acima é o que melhor expressa a linha terapêutica conhecida como Psicodrama. E para você poder compreendê-la vamos explicar tudo que você precisa saber sobre o assunto. Vamos embarcar nesta abordagem da psicoterapia? Boa viagem!

O que é psicodrama?

Muitas das atitudes que temos em nosso dia a dia são fruto dos acontecimentos do nosso passado que moldam quem somos e quem nos tornamos com o passar do tempo. 

E conforme vamos nos desenvolvendo, somos impelidos a lidar com conflitos internos, que desencadeiam ações e até mesmo transtornos com os quais não encontramos recursos para lidar. 

Desta maneira, foram desenvolvidas muitas linhas terapêuticas no intuito de ajudar o ser humano a lidar com seus conflitos internos que o impedem de evoluir e crescer em sua jornada. E uma destas linhas de terapia é o Psicodrama.

Inspirado no teatro, o Psicodrama é uma espécie de psicoterapia de grupo onde os participantes escolhem papéis para dramatizar situações que envolvem forte carga emocional, o que dá ao terapeuta a oportunidade de aprender os sintomas que afloram no relacionamento entre os participantes. 

Desta forma, a representação dramatizada é vista sobre três perspectivas distintas: (1) a indiferenciação do Eu, (2) a visão do Eu e (3) a visão do Outro. 

Os alicerces teóricos do Psicodrama

O Psicodrama tem como alicerces teóricos: a tele, a empatia, o co-inconsciente e a matriz. E qual o papel de cada um destes alicerces? Vemos a seguir!

Tele

O conceito de tele traduz a capacidade de perceber os acontecimentos e as interrelações entre os seres envolvidos na cena de maneira mais objetiva, ainda que os fatos não sejam expressos de forma verbal ou fisicamente perceptível.

Empatia

O que é empatia todos nós sabemos: trata-se da capacidade de um indivíduo de se colocar no lugar do outro. E no contexto do Psicodrama, esta capacidade é essencial para criar uma percepção imediata do que sentiríamos caso estivéssemos naquela situação interpretada.  

Co-inconsciente 

O co-inconsciente refere-se às vivências e sentimentos que são comuns entre as pessoas, no caso, entre as pessoas do grupo terapêutico. 

Matriz

Por sua vez, a matriz de identidade trata-se de um conceito um pouco mais complexo e que abarca os demais alicerces teóricos. 

Para o pai do Psicodrama, Jacob Levy Moreno, o primeiro ato criativo do ser humano é o próprio nascimento e o seu desenvolvimento ao longo da vida para completar a maturidade. 

Ao longo deste caminho existencial até a maturidade, somos marcados pela submissão da capacidade criadora a condutas estereotipadas, pressões sociais e identidades culturais. O que forma a nossa matriz de identidade.

Como funciona este tipo de terapia?

O Psicodrama tem como um de suas finalidades relevar comportamentos e sentimento sabotadores não identificados pela pessoa, de forma a eliminá-los. Com isso, Moreno propõe uma técnica onde o protagonista da dramatização conseguisse a melhor visualização de si e do problema em questão.

Entre as técnicas usadas, três se destacam: a dramatização da cena, a técnica do espelho e inversão de papéis. 

A dramatização de cena é uma etapa de extrema importância, onde alguns elementos são essencias para a eficácia da sessão de Psicodrama:

  1. Cenário: local onde se desdobra os problemas e onde eles são representados;

  2. Protagonista: a pessoa ou grupo que protagonizará a situação;

  3. Diretor: o psicoterapeuta que conduzirá o Psicodrama;

  4. Egos — auxiliares: indivíduos que contracenam com o personagem central;

  5. Plateia: pessoas que assistiram à dramatização e participaram da cena dramática.

  6. Técnica do espelho: o protagonista sai de cena e assume o papel de expectador, sendo substituído por um dos egos-auxiliares. O objetivo é que o personagem se veja de fora, sob a ótica do outro, e desta maneira consiga ver seus comportamentos e sentimentos sob a perspectivas daqueles que convivem com ele;

  7. Inversão de papéis: aqui o personagem inverte seu papel com os egos-auxiliares. Aqui os personagens têm a oportunidade de viver e sentir os comportamentos e sentimentos que acompanham o personagem principal, desvendando as visões que este carrega de si e dos egos-auxiliares. 

Em que situações esta terapia é mais indicada?

O Psicodrama pode ser utilizado para diversos objetivos. Pessoas que desejam soltar mais a sua personalidade, ser mais comunicativo e menos tímidos, podem se beneficiar muito desta linha terapêutica, pois ajuda a busca autoconhecimento  e ressignificar acontecimentos.

Para o criador do Psicodrama, o ser humano nasce capaz de ser espontâneo e, por conta das vivências no convívio social, vão limitando sua capacidade. Deste modo, as cenas dramatizadas são oportunidades de ressignificar crenças e padrões limitantes e resgatar a capacidade de criatividade e espontaneidade. 

Mas engana-se quem pensa que o Psicodrama é um método indicado apenas para pessoas que tem um problema específico. Esta linha de terapia pode acrescentar e ser útil a todos os tipos de pessoas, pois é um processo de autoconhecimento que nos dá oportunidade de fazer escolhas mais conscientes e saudáveis. 


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK