Por que temos a sensação de deja vu? Conheça algumas teorias.

19/11/2021 às 10:36 Hipnose

Por que temos a sensação de deja vu? Conheça algumas teorias.

Termo francês que significa literalmente “já visto”, o Deja Vu é um vocábulo bastante utilizado para designar a sensação que a pessoa tem de já ter vivido aquela situação do presente em algum momento do seu passado, ou de sentir que um local aparentemente novo é familiar, por exemplo. 

Mas será que a Neurociência e a ciência como um todo conseguem explicar este fenômeno? Afinal, a pergunta que não quer calar, por que temos a sensação de deja vu? Será que é algo espiritual e divino, ou simplesmente uma sensação que vem ao acaso?

As dúvidas sobre o assunto são muitas e variadas. Nesse conteúdo do IBND (Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento) tomamos como missão responder a alguma das principais questões sobre o assunto que intriga tantas pessoas. Aceita embarcar nesta jornada conosco? 

Sim!? Então, boa leitura!

O que é um deja vu?

Como você bem deve saber, o deja vu compreende a sensação de estar revivendo um momento. É a impressão que temos de que certa fala, gesto ou situação já aconteceu e está se repetindo agora no presente. 

Também pode ser usada para definir quando a pessoa vai a um lugar novo, mas tem a sensação de que já o conhece. O deja vu pode acontecer com qualquer pessoa (muito provavelmente já aconteceu com você, leitor), mas nem todos necessariamente irão vivenciar esta intrigante experiência. 

Então, há pessoas com mais tendência para o deja vu?

Para psicólogos e neurocientistas, sim, apesar de não se saber o porquê. Talvez algumas pessoas tenham maior tendência a detectar falhas em suas lembranças. O que por um lado seria bom, afinal, um cérebro que detecta falhas tem seu sistema de comprovação funcionando muito bem, o que evita erros na hora de recordar acontecimentos. 

Ademais, acredita-se que certas situações podem ter mais influência no deja vu. Dormir pouco e o uso de determinados medicamentos são algumas delas.

Um fato interessante é que o deja vu tende a diminuir com a idade. Ainda não se sabe porquê, contudo duas especulações fazem certo sentido: (1) o cérebro, com o passar dos anos, vai “calibrando” sua percepção de lembranças  em busca de possíveis falhas e (2) o envelhecimento dificulta para o cérebro detectar falhas. 

As 4 teorias que buscam explicar o fenômeno

Embora grande parcela dos indivíduos vivenciem (ou irão vivenciar) o deja vu, ainda não foi possível aos cientistas formularem uma teoria concreta acerca do fenômeno. Portanto, tenha em mente que as teorias apresentadas a seguir, são apenas isso: teorias!

A busca do cérebro pelo conhecido

Segundo esta teoria, o nosso cérebro sempre busca por memórias que contenham elementos semelhantes aos vividos no momento. Quando ele as encontra, avisa que aquilo não é tão novo, visto que a pessoa já passou por uma situação semelhante. 

Contudo, o deja vu aconteceria por um engano do cérebro ao indicar que a pessoa já viveu a mesma coisa, sendo que ela nunca passou por isso. 

Mau funcionamento da memória

O cérebro se engana? Está teoria acredita que sim. Segundo cientistas defensores desta teoria, o cérebro mistura o que é está sendo vivido agora com o que ele tem arquivado do passado. 

Assim, ao mesmo tempo que ele vive a experiência atual, ele acessa memórias antigas. É neste momento que acaba acontecendo a confusão onde o cérebro entende que o que está acontecendo agora, na realidade, já foi arquivado na memória anteriormente. O resultado disso é a sensação de deja vu. 

Duplo processamento

Em situações normais de processamento de informações, o lobo temporal esquerdo separa e analisa a informação que chega ao cérebro e depois envia ao hemisfério direito, sendo que essa informação depois retorna ao hemisfério esquerdo.

Assim, a informação passa duas vezes pelo lado esquerdo do cérebro. Mas quando essa segunda passagem demora mais que o habitual, o cérebro tem dificuldade para processar a informação, acreditando que ela se trata de uma memória do passado. 

Acesso a fontes erradas

Todas as informações são arquivadas na memória, mesmo que não lembremos delas de forma consciente, e elas podem vir tanto de uma situação vivida, quanto da leitura de um livro, por exemplo. 

De acordo com esta teoria, a sensação de deja vu é consequência da utilização de fontes erradas, como de algo que foi lido ou assistido, como se a pessoa tivesse vivido o momento. Assim, o cérebro confunde a vida real com a ficção. 

Em quais das teorias apresentadas aqui, ou quaisquer outras que você já tenha ouvido ou lido, você acredita mais? 

Realmente, o fenômeno do deja vu é algo bastante interessante e intrigante, assim como a mente humana como um todo. E se você está aqui, posso apostar que este é um tema que lhe interessa bastante, não é mesmo?

Seja você um profissional da mente ou apenas um curioso, colher informações sobre como o seu cérebro funciona é vital para o processo de autoconhecimento. Quer ir mais afundo pelo consciente, subconsciente e inconsciente da sua mente? Conheça o curso de hipnose do IBND e mergulhe profundamente neste incrível universo que é a mente humana!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK