O paradoxo de stockdale: o otimismo na realidade

23/11/2021 às 10:36 Hipnose

O paradoxo de stockdale: o otimismo na realidade

Assim como aqueles que não acreditam na vitória já perderam a batalha antes mesmo de começá-la, aqueles otimistas em excesso pode cair bruscamente e de forma extremamente dolorosa para se levantar novamente. É basicamente este o ensinamento que pretendemos passar aqui ao apresentá-lo ao paradoxo de Stockdale. 

Paradoxos, embora complexos, tem como objetivo nos levar a determinadas reflexões típicas da vida humana, considerando que um único fator pode ser compreendido de maneiras distintas. 

Neste artigo, você vai conhecer o paradoxo de Stockdale e aprender com ele algumas lições valiosas. Vamos lá para mais um conteúdo de autorreflexão!

A origem do paradoxo

Escrito por Jim C. Collins, no livro de negócios “Good to Great”, o autor descreve sobre uma conversa que teve com o aviador premiado com medalha de honra na guerra do Vietnã, James Stockdale, na qual ele foi prisioneiro de guerra por sete anos. 

Torturado incontáveis vezes por seus captores, Stockdale afirma que nunca teve motivos para acreditar que sobreviveria ao campo de tortura e que um dia voltaria a ver sua família. Contudo, ele afirma que nunca tinha perdido sua fé:

“Eu nunca duvidei não apenas de que iria sair, mas também de que iria prevalecer no final e transformar a experiência no evento decisivo da minha vida, que, em retrospecto, eu não trocaria.”

E ainda adiciona: 

“Esta é uma lição muito importante. Você nunca deve confundir a fé de que, no final, você prevalecerá — o que você nunca pode perder — com a disciplina para enfrentar os fatos mais brutais da sua realidade atual, sejam eles quais forem.”

Esta filosofia de dualidade é o que definiu o que paradoxo de Stockdale!

Em quais situações o paradoxo de Stockdale é aplicável?

O paradoxo criado das experiências traumáticas de gerra de Stockdale é aplicável em diversos desafios diários que enfrentamos.  Quer seja no tratamento de um vício, num momento de divórcio, de luto ou com um série de outras dificuldades em nossa vida.

Se esconder e esperar que as dificuldade desapareçam é uma solução ilusória de curto prazo. Mas, cedo ou tarde, teremos que enfrentar a realidade por mais fria e dura que ela seja. 

E é aí que os otimistas ao extremo tendem a falha: eles se recusam a entregar a realidade da situação como um todo. 

Cinco lições que podem aprender com o paradoxo

O assunto é bastante complexo, não é mesmo? A seguir forneceremos algumas lições de vida que podem ser extraídas deste paradoxo , especialmente em momentos de adversidade. Confira!

  1. Fé e pragmatismo devem andar juntos!

Fé e pragmatismo são forças aparentemente antônimas, contudo precisamos de ambas para traças nossas metas e alcançar nossos objetivos. Afinal , a fé é o que nos dá motivação de que alcançaremos resultados positivos. Mas precisamos, em simultâneo, manter o pé no chão para alcançar aquilo pelo que tanto lutamos. 

É aquele clássico do vestibulando que se prepara para os vestibulares, mas que não deixa de rezar antes das provas.

  1. Perdas são inevitáveis!

O realismo de Stockdale fez com que ele admitisse que havia sido derrotado e que, naquele momento, nada havia que ele pudesse fazer para alterar sua história. Enquanto os mais otimistas se recusavam a entender isso e definhavam em sua ilusão. 

Por isso, a garantia de sobrevivência e da superação está em admitir que os obstáculos e derrotas existem. É preciso aceitar o fracasso para depois agir e superá-los.

  1. Conquistas e dificuldades são medidas proporcionalmente!

Stockdale foi recebido como um verdadeiro herói de guerra por ter lutado bravamente e sobrevivido em condições péssimas, sem perder a esperança. E os dias de glória só vieram para o almirante porque, antes deles, houve momentos de sofrimento.

Com isso, devemos entender que, nos momentos de dificuldade, vale a pena manter a calma, pois, um dia, eles irão nos engrandecer!

  1. O otimismo pode ser tão nocivo quanto o pessimismo!

O otimismo exagerado pode cegar e impedir que admitamos quando sofremos uma derrota. Em contrapartida, o realismo e pessimismo faz que sejamos derrotados antes mesmo de começar. Nenhum dos dois é bom!

Por isso, é essencial aceitarmos que as perdas são inevitáveis sem se entregar ao pessimismo e sem abusar do otimismo.

  1. O equilíbrio emocional é vital!

O equilíbrio é o que nos permite dosas entre fé e pragmatismo; entre otimismo e realidade. Sem o equilíbrio emocional, podemos nos refugiar em extremos, o que certamente produzirá ainda mais sofrimento. 

Sendo assim, quando estiver passando por situações difíceis, não perca as esperanças, mas também não deixe de agir racionalmente para que isso chegue a um fim. Sinta suas emoções e aprenda a extrair lições delas. 

Gostou deste conteúdo e quer aprender a desenvolver sua inteligência emocional para lidar com situações adversas de forma sábia e eficiente? Conheça hoje mesmo o curso de pnl online do IBND!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK