O caso Biles e saúde mental

18/08/2021 às 22:39 Hipnose

O caso Biles e saúde mental

Recentemente um caso chamou a atenção de todo o mundo para a importância de priorizar a saúde mental. Você viu o caso de Simone Biles? Então dá uma olhada!

Quem é Simone Biles?

Simone Arianne Biles é uma ginasta americana que nasceu em 4 de março de 1997 em Columbus, Ohio, Estados Unidos. Biles tem um combinado de 32 medalhas em campeonatos mundiais e olímpicos. Somente nos jogos olímpicos do Rio de Janeiro em 2016, a atleta ganhou medalhas de ouro em três modalidades de ginástica artística. Biles é a ginasta com mais medalhas mundiais e com mais medalhas de ouro em mundiais, tendo ultrapassado outras ginastas de excelência.

Vida e educação

A mãe de Biles tinha problemas com drogas, assim, não conseguia cuidar de seus quatro filhos. Biles é a terceira dos irmãos, com os quais morou em lares temporários durante a infância, até serem adotados pelo avô materno, Ron Biles, e sua segunda esposa, Nellie Cayetano Biles. Em 2012 Biles fez a escolha de mudar da escola pública para a educação em casa, permitindo que treinasse 20 a 32 horas por semana. A ginasta também fez tentativas de cursar a UCLA, universidade dos Estados Unidos, e se tornou embaixadora da marca da universidade.

Olimpíadas de Tóquio

Grandes expectativas eram esperadas de Biles nas olimpíadas de Tóquio, no entanto, após o primeiro salto da ginasta não ter tido o efeito esperado, ela declarou que estava se sentindo pressionada demais para a competição. A atleta fez declarações a respeito da sua priorização em não colocar a saúde mental em risco. Outro medo da atleta era perder o sentido de direção no ar durante os movimentos chamados twists, pois sua concentração não estava 100% com toda a pressão sentida. Por isso, ao decidir se afastar da competição em equipe, Biles declarou que seria melhor deixar as colegas competirem para não perder a longa jornada olímpica de um longo ano. “Não somos apenas atletas. Somos pessoas, afinal de contas, e às vezes é preciso dar um passo atrás”, declarou a ginasta na Olimpíada de Tóquio.

Das reflexões que ficam pelos relatos de Simone Biles, discute-se hoje que a performance não está acima de tudo. A comparação com outros atletas é natural no ambiente das Olimpíadas, pois de certa forma os atletas estão disputando posições e se comparando, o que faz com que se fragilizem, gerando sensação de insegurança, medo e menos valia. O desafio para os psicólogos do esporte nesses casos é não cair no mecanismo emocional que ativa a comparação.

O que é saúde mental?

Em geral, a saúde mental se relaciona à forma como uma pessoa reage às exigências, desafios e mudanças da vida e ao modo como harmoniza suas ideias e emoções. Diariamente, vivenciamos uma série de emoções, boas ou ruins, mas que fazem parte da vida. A forma como lidamos com essas emoções é que determina como está a qualidade da nossa saúde mental e nossa qualidade de vida.

Assim, tê-la ou alcançá-la está muito longe da ausência de transtornos mentais. O desequilíbrio emocional facilita o surgimento de doenças mentais. Podemos dizer que a saúde mental contempla, entre tantos fatores, a nossa capacidade de sensação de bem-estar e harmonia, a nossa habilidade em manejar de forma positiva às adversidades e conflitos, o reconhecimento e respeito dos nossos limites e deficiências, nossa satisfação em viver, compartilhar e se relacionar com os outros, algo muito maior e anterior ao início dos transtornos mentais.

Saúde mental no esporte

A tensão vivida por Biles não é uma novidade para os atletas, que têm que se virar com uma alta dose de cobrança pelo desempenho, assim como em outras profissões, e a discussão levantada por Biles pode ir além das quadras. Cada vez mais atletas tem declarado ter problemas de saúde mental.

Os atletas estão falando mais sobre saúde mental porque a cobrança hoje em dia é generalizada, seja pressão nas redes sociais ou pelos patrocinadores cada vez mais presentes na vida e na imagem pública desses profissionais.

Psicologia do esporte

A psicologia do esporte é uma ciência multidisciplinar que contribui para o respaldo psicológico e otimização do rendimento de atletas e equipes. Dar esse apoio psicológico aos atletas é tão importante quanto uma alimentação balanceada e programada por nutricionistas, pois um corpo saudável também precisa de uma mente saudável. O papel do psicólogo responsável pela saúde psíquica de um time se desenvolve a partir de uma abordagem das emoções vivenciadas pelos jogadores em sua rotina de trabalho, ampliando sua resiliência ao lidar com as mesmas situações.

As demandas psicológicas esportivas são inegáveis. Muitos atletas acabam sucumbindo diante de dificuldades que poderiam ser minimizadas caso houvesse um maior interesse de treinadores e dirigentes na contratação de psicólogos esportivos. Na perspectiva biopsicossocial do ser humano, o atleta poderá se deparar com necessidades em quaisquer das esferas acima citadas: biológica, psicológica ou social.

Dicas para manter a saúde mental

Principalmente nesse momento de pandemia, em que todos parecem estar sentindo uma pressão generalizada, é preciso inserir algumas oportunidades de incremento da sua saúde mental na rotina, tais como:

  • Fazer conexões sociais, face-a-face por videochamadas ou presencialmente quando possível (dadas as condições sanitárias de sua localidade);
  • Mantenha-se ativo, procure exercitar-se regularmente (dá pra fazer mesmo dentro de casa) e faça atividades que tenham impactos positivos em sua saúde mental e emocional;
  • Fale com alguém amigável, seja sobre suas questões pessoais com um profissional da saúde até um amigo em quem possa confiar. Mantenha sua rede de contatos.
  • Faça uma prática de relaxamento, meditação, mindfulness ou yoga para reduzir os níveis gerais de estresse;
  • Alimente-se tendo em vista a saúde do seu cérebro, incluindo alimentos ricos em ômega-3, nozes, abacates, feijões, verduras e frutas frescas;
  • Não negligencie o sono, mantenha ritmos de sono adequados e constantes, durma e acorde nos mesmos horários e perceba em quais momentos do dia está naturalmente sonolento e quais está naturalmente alerta;
  • Mantenha um jornal de gratidão para registrar as coisas boas que acontecem com você.

E você, está interessado em adquirir novas ferramentas para lidar com a saúde mental? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK