A escola de Frankfurt

15/08/2021 às 22:32 Hipnose

A escola de Frankfurt

Conhecer os grandes pensadores da história é saber como contribuíram para que o mundo esteja sempre em evolução. Você conhece os pensadores da escola de Frankfurt? Então se liga nesse mapa mental!

A Escola de Frankfurt

A Escola de Frankfurt é uma vertente da teoria social e filosofia associada ao Instituto para Pesquisa Social da Universidade de Frankfurt, na Alemanha. A escola inicialmente consistia de cientistas sociais marxistas dissidentes que acreditavam que alguns dos seguidores de Karl Marx tinham se tornado "papagaios" de uma limitada seleção de ideias de Marx, usualmente em defesa dos partidos comunistas ortodoxos.

A partir das ideias de Karl Marx, pensadores representantes da Escola de Frankfurt, passaram a desenvolver teorias tendentes a estimular uma emancipação social através de um pensamento crítico em relação à realidade social regida pelo sistema capitalista.

Teoria crítica

A Teoria Crítica da Escola de Frankfurt trouxe a ideia de esclarecimento com o objetivo de estimular uma percepção mais apurada em relação à instituição de ações padronizadas tendentes a manter o sistema dominante.

As principais figuras da escola foram solicitadas a aprender e sintetizar os trabalhos de variados pensadores, como Immanuel Kant, Georg Wilhelm Friedrich Hegel, Karl Marx, Sigmund Freud, Georg Simmel, Georg Lukács e, sobretudo, Max Weber.

A partir de setembro de 1933, a “Escola de Frankfurt” deixa de estar em Frankfurt, saindo a revista em França e sendo na Suíça o quartel-general.

Objetivos da Escola de Frankfurt

Seguindo Marx, eles estavam preocupados com as condições que permitiam mudanças sociais e o estabelecimento de instituições racionais. Sua ênfase no componente "crítico" da teoria foi derivada significativamente da tentativa de superar os limites do positivismo, materialismo e determinismo retornando à filosofia crítica de Kant e aos seus sucessores no idealismo alemão, principalmente a filosofia de Hegel, com sua ênfase na dialética e contradição como propriedades inerentes da realidade.

Os meios tecnológicos de comunicação podem ser identificados como instrumentos eficazes de interação com a sociedade. Mas, quando tendencialmente direcionados para repassar a ideologia de grupos dominantes da sociedade, tornam-se instrumentos manipuladores e é neste contexto que surge uma indústria de incentivo à alienação e ao consumo sem reflexão, intitulada indústria cultural.

Iluminismo e Escola de Frankfurt

O lluminismo é a saída do homem da sua menoridade de que ele próprio é culpado. A menoridade é a incapacidade de se servir do entendimento sem a orientação de outrem. Tal menoridade é por culpa própria, se a sua causa não reside na carência de entendimento, mas na falta de decisão e de coragem em se servir de si mesmo, sem a guia de outrem.

Deste modo, o trabalho dos pensadores marxistas consistiu na análise de uma sociedade dominada pela lógica capitalista, em que as ideias da classe dominante definem os rumos da formação social existente, e, ainda, na busca de formas de conscientização e superação dessa dominação. Através do marxismo da Escola de Frankfurt se constitui uma “Crítica da dominação”.

Autores da Escola Frankfurt

Dentre os pensadores da Escola de Frankfurt, podemos destacar:

  • Immanuel Kant: um filósofo prussiano, considerado como o principal filósofo da era moderna. Dedicou-se a fazer uma síntese entre o racionalismo continental e a tradição empírica inglesa. Kant é também conhecido pela filosofia moral e pela proposta, a primeira moderna, de uma teoria da formação do Sistema Solar, conhecida como a hipótese Kant-Laplace.
  • Georg Wilhelm Friedrich Hegel: filósofo alemão que criou a teoria da Fenomenologia do Espírito, tida como marco na filosofia mundial e na filosofia alemã. Hegel pode ser incluído naquilo que se chamou de Idealismo Alemão, uma espécie de movimento filosófico marcado por intensas discussões filosóficas entre pensadores de cultura alemã do final do século XVIII e início do século XIX. Essas discussões tiveram por base a publicação da Crítica da Razão Pura de Immanuel Kant.
  • Maximilian Karl Emil Weber: intelectual jurista e economista alemão considerado um dos fundadores da Sociologia e é considerado influência no direito, na ciência política e na administração. Personagem influente na política alemã da época, foi consultor dos negociadores alemães no Tratado de Versalhes (1919) e da comissão encarregada de redigir a Constituição de Weimar. Grande parte de seu trabalho como pensador e estudioso foi reservado para o estudo do capitalismo e do chamado processo de racionalização e desencantamento do mundo. Mas seus estudos também deram contribuição importante para a economia.

Outros membros

Filósofos e demais intelectuais associaram-se à Escola de Frankfurt cujo teor de sua filosofia constituiu-se pelos princípios da “Teoria Crítica”. O fomento a esta teoria foi contribuição de representantes da Escola de Frankfurt, tais como Max Horkheimer (1895-1973), Theodor Wiesengrund Adorno (1903-1969), Herbert Marcuse (1898-1978), Walter Benjamin (1892-1940), Erich Fromm (1900-1980), Jürgen Habermas (1929), entre outros.

O que é sociologia?

A sociologia é a ciência social que estuda a sociedade, os padrões de relações sociais, a interação social e a cultura da vida cotidiana. É uma ciência social que utiliza vários métodos de investigação empírica e análise crítica para desenvolver um corpo de conhecimento sobre ordem social, aceitação e mudança ou evolução social.

Os diferentes focos tradicionais da sociologia incluem estratificação social, classe social, mobilidade social, religião, secularização, lei, sexualidade, gênero e desvio. Como todas as esferas da atividade humana são afetadas pela interação entre estrutura social e agência individual, a sociologia expandiu gradualmente seu foco para outros assuntos, como saúde, medicina, economia, instituições militares e penais, Internet, educação, capital social e o papel da atividade social no desenvolvimento do conhecimento científico.

Aplicações das teorias

A Escola de Frankfurt convida à reflexão sobre o uso dos meios de comunicação para informar ou influenciar a grande massa, a qual depende de uma intenção prévia orientando o tipo de comunicação. Precisamos manter um pensamento crítico em relação ao que absorvemos de conteúdo todos os dias, principalmente nessa era da informação onde somos bombardeados constantemente por dados dos mais variados temas, questionando os paradigmas de cada época.

E você, ficou interessado em adquirir mais conhecimento e se capacitar como profissional da saúde mental? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!

Referências:

LIMA, B.D.T.C. & SANTOS, E.A.C. Socialização e dominação: a Escola de Frankfurt e a cultura. Tempo soc. 2018;30(3).

MOTTA, A.P.P. & AQUINO, R.A.B. A Escola de Frankfurt: fundação da teoria crítica à indústria cultural. sem data.

 


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK