Criatividade: a psicologia do flow

06/08/2021 às 21:15 Hipnose

Criatividade: a psicologia do flow

Diversos componentes do comportamento humano são estudados pela psicologia, em especial, um fenômeno chamado de estado de flow, você conhece? Então olha só!

O autor

Mihaly Csikszentmihalyi é um psicólogo húngaro-americano nascido em 1934 reconhecido pelo estudo do conceito psicológico do flow ou fluxo, focando nos estados mentais condutores de produtividade.

Segundo o autor, embora nem todas as crianças sejam criativas, todos os adultos foram crianças algum dia. Dessa forma, é preciso avaliar a infância dessas pessoas para entender como conseguiram fazer algo inventivo e criativo.

O que modela as vidas criativas?

O pensamento antigo concebia a vida como algo mais ou menos determinístico, acreditava-se que a adultidade era movida pelos eventos experienciados na infância, o que leva muitas pessoas a avaliarem o presente com bases no passado. Grande parte desses julgamentos e conclusões são verdadeiras, mas quando refletimos sobre nossas vidas criativas individuais, acabamos encontrando um novo jogo e possibilidades.

O suporte de professores e mentores pode alimentar a criatividade da criança desde seus anos mais iniciais, levando o indivíduo a ter inspirações e saber o que quer seguir na adultidade quando amadurecerem. Assim, a vida criativa é determinada pelos movimentos que o indivíduo faz e pelas respostas que encontra nessa relação com o universo. A estimulação parental é fundamental para dar estrutura ao futuro, moldando de certa forma a qualidade de vida futura do indivíduo.

O que é criatividade?

A criatividade é uma espécie de estado mental, um insight que ocorre dentro das mentes de pessoas peculiares, é o produto da interação entre os pensamentos e sentimentos individuais com a cultura em um contexto biopsicossocial.

Alguns indivíduos experienciam a criatividade de forma brilhante e rápida, contribuindo a partir de seus interesses para algo permanentemente significativo, enquanto outras pessoas percebem e experienciam o mundo de formas novas e originais, com percepções frescas, julgamentos conscientes e podem fazer importantes descobertas que apenas eles sabem.

Dessa forma, a criatividade é qualquer ato, ideia ou produto que muda um domínio existente em um novo.

A pessoa criativa

É importante lembrar que a pessoa criativa é alguém cujos pensamentos mudam um domínio ou são capazes de estabelecer um novo domínio. A pessoa criativa não precisa, necessariamente, ser alguém diferente de outras pessoas, ou seja, um traço pessoal de criatividade não é o que determina se a pessoa será criativa. O que conta é se a novidade que a pessoa produz será aceita pelo domínio. Fatores que contribuem para o desempenho da pessoa criativa são interações que podem derivar de tentativas e erros, perseverança ou estar no lugar certo, na hora certa.

Uma pessoa não pode ser criativa em um domínio ao qual ela nunca foi exposta, é preciso encontrar um domínio que valide, reconheça e legitime seus próprios achados. Por isso, o nível de criatividade em um dado lugar e momento depende não apenas do indivíduo criativo, mas também dos domínios que irão difundir suas ideias.

Pessoas criativas tendem a se adaptar a maioria das situações para fazer com ela o que está disponível, de modo a atingir o resultado almejado. Distinguem-se dos demais em suas contribuições por seus sentidos sensoriais refinados e curiosidade aguçada. A pessoa criativa tem, ainda, as seguintes características:

  • Podem ser indivíduos cheios de energia física, mas também podem ser introvertidos e quietos.
  • Precisam de uma aura de frescor, entusiasmo e resiliência para dar conta das longas horas de trabalho.
  • Embora possam ser indivíduos inteligentes, também podem ser imaturos e ter dificuldades para lidar com sua saúde mental.
  • Usam um combinado de brincadeira e disciplina, de responsabilidade e irresponsabilidade.
  • Alternam entre a imaginação e a fantasia, embora enraizados na realidade.
  • Tendem a ter um continuum entre a extroversão e a introversão.
  • São humildes e orgulhosos de sua arte ao mesmo tempo.
  • Tendem a escapar dos papéis rígidos geralmente associados ao estereótipo de gênero e sexualidade.
  • Com frequência, são vistos como pessoas rebeldes e independentes.
  • São apaixonados por seu trabalho e podem ser extremamente objetivos a respeito dele, embora trabalhem com a subjetividade.
  • A abertura e a sensibilidade de pessoas criativas não raramente representam suas dores e sofrimentos, embora possam trazer uma sensação de prazer e diversão.

O processo criativo

Para ser criativo é preciso mergulhar fundo em um domínio até encontrar suas limitações, onde jaz a mentalidade criativa. A criatividade se interrelacionam com um sistema composto de três partes:

  1. Domínio: um conjunto de regras e procedimentos simbólicos como a matemática ou aspectos enraizados da cultura ou pela humanidade como um todo.
  2. Campo: inclui todos os indivíduos que agem como “portais” destes domínio, ou seja, é sua responsabilidade definir se uma ideia ou produto deve ser incluído no domínio.
  3. Indivíduo: por último, o principal componente do processo criativo é a pessoa, que usa símbolos como a música, a engenharia, os negócios ou a matemática, tem uma nova ideia e vê novos padrões que podem ser renovados, apropriadamente incluídos no campo e no domínio mais relevante.

Como ser mais criativo?

A criatividade tem a ver com a interação entre nossos sentimentos e pensamentos com o contexto, o ambiente. É possível estimular os sentidos de diversas formas, tais como engajar-se em um ambiente saudável e agradável na natureza, desligado dos aparelhos eletrônicos e da internet, colocando este tempo consigo como uma prioridade é uma boa maneira de começar. Praticar meditação e exercícios físicos podem contribuir para ter ideias frescas e inovadoras. Viaje em sua imaginação e fantasias, conheça os seus desejos e explore o seu mundo interno. Inscreva-se em algum curso artístico, onde possa experienciar os benefícios das habilidades artísticas e a concentração. Criar hobbies também é uma ótima forma de deixar a criatividade fluir e sair dos estados de tensão e estresse do dia a dia que nublam a capacidade criativa individual.

Por fim, não existe um modo certo de ser criativo. Use a sua imaginação!

E você, ficou interessado em abordagens de saúde que contemplem os aspectos biopsicossociais? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!

Referência:

CSIKSZENTMIHALYI, M. Creativity: flow and the psychology of discovery and invention. Editora Harper Perennial. 2013.


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK