Armadilhas do cérebro que podem estar barrando sua inovação

09/02/2022 às 20:31 PNL

Armadilhas do cérebro que podem estar barrando sua inovação

Estudar a neurociência é buscar compreender como nossos neurônios funcionam e, consequentemente, como o nosso cérebro trabalha em diferentes situações, inclusive, quando se fala em empreender e inovar. Afinal, as boas ideias são, em essência, sinapses.

Mas afinal de contas, você entende o poder da neurociência para o processo de inovação? 

Neste conteúdo do IBND (Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento) os profissionais especializados em desenvolvimento pessoal e profissional através de hipnose, programação neurolinguística e coaching te explicam.

Continue acompanhando!

As barreiras do cérebro que desafiam a inovação

São vários os estágios internos que dificultam o processo de pensarmos e, sobretudo, de fazermos diferente — seja a nível pessoal ou no ambiente de trabalho. 

Em resumo básico, são 4 barreiras (ou estágios) que explicaremos a seguir:

1.º ESTÁGIO — Economia de energia 

Neste estágio do processo de inovação, o cérebro tenta evitar que gastemos energia, fazendo o que for possível para nos manter na zona de conforto e preservar a vida, privilegiando funções básicas de sobrevivência, tal como alimentação, reprodução e descanso. 

Todas as demais atividade que fujam a isso requerem gasto de energia. É neste ponto que nos deparamos com a procrastinação. Para superar esta barreira é fundamental visualizar um futuro melhor que o estimule a seguir dedicando tempo e energia para inovar. 

2.º ESTÁGIO — Motivação

Para vencer a procrastinação, basta visualizar um estímulo e com isso tende a surgir a motivação para dar os primeiros passos rumo ao novo. 

Isso funciona para diferentes objetivos: emagrecimento, enriquecimento, qualidade de vida, etc. Apenas 80% das pessoas chegam a este estágio e este número tende a cair um nível abaixo;  

3.º ESTÁGIO — Dor

Para aqueles que decidiram agir ao iniciar o processo de inovação movidos pela motivação, uma barreira com certeza surgirá em seu caminho: a dor. Afinal, todo o processo de inovação é doloroso, uma vez que estamos forçando nosso cérebro a aceitar uma nova realidade.

Apenas 8% das pessoas atingem o estágio da dor. E é muito comum nesta etapa que encontremos boas razões para desistir dos nossos objetivos. Não faça isso!

4.º ESTÁGIO — Neuroplasticidade

A mágica acontece aqui para menos de 1% das pessoas que passam pelo processo de inovação. Neuroplasticidade é a capacidade que o cérebro tem de se renovar e traçar novas rotas e caminhos de forma mais natural. 

Quatro comportamentos que travam seu processo de inovação

Para nós do IBND existem algumas armadilhas que o cérebro prepara e  que podem acabar com a nossa capacidade de inovação:

  1. Você quer resolver os problemas de todo mundo

Pense em quanta energia você já desperdiçou em atividades que fogem aos seus objetivos. Nossa cabeça é uma “máquina” de resolver problemas e devemos escolher sabiamente para qual atividade direcionar a energia que faz esta máquina funcionar. 

Para isso, pegue papel e canete e escreva atividades em que você gasta seu tempo, mas que têm nada a ver com seu processo de inovação. O que você pode fazer para aumentar seu foco? O primeiro passo para inovar é persistir em suas metas e objetivos

  1. Você cria desculpas para não dar o primeiro passo

Para justificar um comportamento, é normal que nós seres humanos inventamos desculpas e criamos histórias, tais como: “eu não inovo porque não tenho tempo e dinheiro”, “eu não faço porque não tenho apoio do meu chefe” e assim por diante. 

 

Cuidado para que essas histórias que você conta aos outros e a si mesmo não o mantenham preso em sua zona de conforto. É a partir do momento que você desacredita destes contos que você poderá se abrir para a inovação. 

  1. Você se apega a velhos hábitos

Um hábito nada mais é do que um caminho neural consolidado, com o objetivo de conservar sua energia mental. E para inovar, é preciso construir novos caminhos e, consequentemente, novas conexões neurais  que chamamos “energia de ativação”.  

  1. Você deixa o medo tomar conta

Sabe o que os grandes empreendedores têm em comum? Todos eles erraram muito antes de alcançarem o sucesso. 

Temos dispositivos neurobiológicos que tentam nos proteger de situações de erro e, assim, nos impedem de inovar. Neste sentido, é importante trabalhar para superar e controlar estes instintos em prol das suas metas racionalmente alcançáveis. 

E como você pode fazer isso? Atualmente existem muitas ferramentas que podem servir de apoio na sua jornada pelo processo de inovação, tal como é o caso do curso de pnl do Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento (IBND).  


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK