Você sabe a diferença entre identidade de gênero e orientação sexual?

19/04/2021 às 13:51 Hipnose

Você sabe a diferença entre identidade de gênero e orientação sexual?

A identidade de gênero e a orientação sexual de um indivíduo são características fundamentalmente independentes e essa diferenciação é, em sua maioria, realizada pela sociedade embasadas na biologia e na cultura.

Biologia

Dessa forma, as características anatômicas do corpo de uma pessoa seria a base para a definição do sexo, enquanto que características socioculturais determinariam o gênero. Outras linhas de pensamento não veem esses dois elementos como tão separados assim, dada a inter-relação entre a biologia e a mente. 

Vamos entender um pouco sobre essa diferenciação para entender o que é cada um.

Orientação sexual

A orientação sexual de uma pessoa indica por quais sexos ou gêneros ela se sente mais atraída, seja física, romântica ou emocionalmente, ou seja, é um padrão duradouro de atração romântica ou sexual por um ou mais tipos de gêneros específicos. Essas atrações geralmente assumem as formas de:

Assexual: não sentir atração por nenhum dos sexos.

Bissexual: é a pessoa que se atrai com ambos os sexos, feminino e masculino.

Heterossexual: diz respeito à pessoa que se atrai pelo sexo oposto.

Homossexual: diz respeito à pessoa que se atrai pelo mesmo sexo.

Pansexual: pessoa que se atrai independente do gênero.

A orientação sexual pode conversar com a identidade de gênero, mas nem sempre estão dependentes uma da outra. O termo orientação sexual é mais adequado que opção sexual ou preferência sexual porque indica que a orientação do desejo de uma pessoa não é escolhida em determinado ponto da vida mas, sim, algo com que se nasce e se desenvolve ao longo da vida. É importante notar, no entanto, que fatores como genes, hormônios pré-natais e a estrutura do cérebro humano podem influenciar a orientação sexual de uma pessoa mesmo antes do nascimento.

Identidade de gênero

O termo gênero aqui se refere a padrões comportamentais tipicamente tomados como femininos ou masculinos, de acordo com a frequência de emissão desses comportamentos por homens e mulheres. A identidade de gênero se relaciona com a forma como o indivíduo se percebe e se classifica dentro desse espectro entre o masculino e o feminino, que seriam dois pólos estabelecidos socialmente como dominantes. 

A identidade de gênero se define a partir de categorias como macho/fêmea ou intersexo, masculino/feminino ou andrógino, sendo um conceito que abrange os lados pessoal, social e legal.

Vamos entender um pouco sobre essas palavras:

Cisgênero: também abreviado de “cis”, é uma pessoa cuja identidade de gênero vai de encontro com a genitália de nascimento. Por exemplo, alguém ter uma vagina e se identificar como uma mulher desde o nascimento.

Transgênero: também abraviado como “trans”, é uma pessoa cuja identidade e expressão de gênero difere daquela atribuída ao sexo de nascimento. Algumas pessoas trans buscam ajuda médica para fazerem a transição de um sexo para outro. É um termo guarda-chuva para pessoas que não exclusivamente se entendem como masculinas ou femininas, incluindo pessoas com gênero fluido ou não-binárias.

Outros: a bandeira LBGTQIA+ deixa em aberto para que outras formas de existir possam se manifestar e participar legitimamente da sociedade.

As identidades de gênero podem ter uma multiplicidade de identidades, e com a crescente aceitação social, muitas pessoas têm podido sair de seus casulos e viver como realmente são e quem realmente se sentem, sem ter que se esconder ou se encaixar.

Identificação

Uma pessoa pode presumir a orientação sexual e mesmo o gênero de outra baseada nas características percebidas como aparência, modo de se vestir, voz e comportamento em relação às demais pessoas. Essa percepção pode afetar como a pessoa é tratada, já que nem sempre a percepção de quem observa está correta acerca de quem o outro é.

Outro equívoco é tentar distinguir a sexualidade de uma pessoa de acordo com seu papel sexual (como se sente na hora do sexo, seja passiva ou ativa, por exemplo), já que a passividade é frequentemente associada a comportamentos femininos e o papel ativo mais associado à masculinidade, sendo que pessoas de diferentes gêneros podem realizar ambos os papeis.

Preconceito

Por isso, atualmente muitas pessoas consideradas definidas pela bandeira LBGTQIA+ buscam desconstruir a visão preconceituosa e imprecisa da sociedade a respeito de sexualidade e gênero e manter a integridade de quem se define desta forma.

O preconceito tem sido um dos grandes entraves para o desenvolvimento da maturidade social acerca das diferentes sexualidades e gêneros. As notícias sobre homicídios de pessoas trans são cada vez mais constantes. Essas pessoas muitas vezes são expulsas de casa, acabam indo morar na rua e não conseguindo empregos por conta dos preconceitos acerca de seu modo de ser.

Se identificar com um gênero diferenciado da maioria, ou ter uma orientação sexual que muda ao longo da vida não são coisas de outro mundo, dizem respeito à liberdade de cada de para ser o que quer ser. Algumas estruturas sociais, no entanto, ainda contribuem para manter o preconceito e diminuir a velocidade com que a população se conscientiza. É o exemplo das religiões, que tendem a avaliar a homossexualidade a partir de um ponto de vista negativo e punitivo. No entanto, é notável que algumas religiões tenham buscado reconhecer esse equívoco e realizar esta reparação histórica.

Por que é importante entender sobre identidade de gênero e orientação sexual?

Primeiramente para que você possa respeitar a pessoa à sua frente, partindo de um lugar de não-julgamento acerca dela apenas pelo que ela “parece ser”. Significa dar um espaço para que a pessoa possa ser ela, assim como você (por exemplo, uma pessoa cisgênero, heterossexual) tem.

Acolha a pessoa de diferente sexo, identidade de gênero e orientação sexual do que você, demonstre o seu suporte e apoio e procure se educar para tratar a pessoa, por exemplo, pelo seu nome social (escolhido), pelo pronome que condiz com sua identificação (por exemplo, o pronome neutro que termina com “e”, ao invés de “o” ou “a”). Você poderá estar salvando a vida de uma pessoa que apenas busca um espaço para ser e para poder ter as mesmas oportunidades que pessoas com corpos e gêneros diferentes dos seus também possuem.

Juntos, a identidade de gênero e a orientação sexual somam-se para formar um conceito único de ser. E você, conhece pessoas de diferentes orientações sexuais e identidades de gênero?

Referências

CARDOSO, F.L. O conceito de orientação sexual na encruzilhada entre sexo, gênero e motricidade. Interam. J. Psychol. 2008;42(1).

MENEZES, A.B. Relação entre gênero e orientação sexual a partir da perspectiva evolucionista. Psicologia: Teoria e Pesquisa. 2010;26(2).

ROSELLI, C.E. Neurobiology of gender identity and sexual orientation. J. Neuroendocrinol. 2018;30(7).

TONELI, MJF. Sexualidade, gênero e gerações: continuando o debate. In JACÓ-VILELA, AM., e SATO, L., orgs. Diálogos em psicologia social [online]. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2012.

Faça nossa Formação em Hipnose!

Um curso com certificação internacional, e focado em hipnose clínica com PNL.


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 10 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 15 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK