O Complexo de Cinderela e os padrões de relacionamento: entenda mais

05/11/2021 às 20:56 Hipnose

O Complexo de Cinderela e os padrões de relacionamento: entenda mais

Você sabia que experiências infantis podem nos levar a ter diferentes tipos de relacionamento? O Complexo de Cinderela é um livro que aborda esse tema. Você conhece? Então vem dar uma olhada!

O que é o complexo de Cinderela?

Descrito pela primeira vez pela autora Colette Dowling, o Complexo de Cinderela é um livro sobre o medo da independência vivenciado por mulheres, uma espécie de desejo inconsciente de ser cuidada por outras pessoas, o que se torna mais aparente à medida em que a pessoa envelhece.

Dowling é uma escritora americana, criada em Baltimore, formada no Trinity College em Washington, Estados Unidos. Formada em serviço social e especialista em psicanálise no Instituto Contemporâneo de Psicoterapia na cidade de Nova Iorque, seu livro é um best-seller vendido internacionalmente em mais de 23 idiomas. Atualmente trabalha como psicoterapeuta em Manhattan e continua escrevendo.

Inspiração para o título

O nome escolhido para o complexo vem do conto de fadas Cinderela, que é baseado na ideia da feminilidade retratada como uma mulher bonita, graciosa, educada, solidária, trabalhadora, independente e difamada pelas mulheres de sua sociedade, mas que não é capaz de mudar sua situação com suas próprias ações sem ter a ajuda de uma força externa, geralmente um homem (ou seja, o Príncipe).

Na realidade, poderia-se colocar o nome de qualquer uma das princesas dos contos de fadas conhecidos.

O que é o Complexo de Cinderela?

O complexo de Cinderela se refere ao desejo quase sempre inconsciente de parte das mulheres de serem protegidas e cuidadas por um companheiro idealizado na imaginação, com as características de um príncipe que se vê nos contos de fadas. Como na fantasia, a mulher só consegue modificar o curso de sua vida tendo o príncipe (um homem) como seu referencial.

Origem do Complexo de Cinderela

O Complexo de Cinderela tem sua origem na infância e pode afetar as relações pessoais e amorosas no futuro, além de afetar a autonomia colocando-a em um lugar de cuidadora da casa ou criadora dos filhos.

Incentivar meninos e meninas a acreditarem em contos de fadas, além de acostumá-los com tarefas socialmente designadas aos gêneros (para as meninas, cuidar da casa; para os meninos, trabalhar) podem desencadear traços de co-dependência no futuro, afetando significativamente a qualidade de vida e a saúde desta mulher.

Complexo de Cinderela e co-dependência

O Complexo de Cinderela dialoga com a co-dependência, que é a condição psicológica na qual o indivíduo repete os mesmos comportamentos ineficazes de quando era criança com o objetivo de ser aceito, amado e importante, na tentativa de aliviar a dor e o sofrimento por sentir-se abandonado. A “Cinderela” do complexo pode, por exemplo, não encontrar seu Príncipe, enfrentar a realidade de que ninguém vive para salvar o outro e de que o autocuidado deve ser voltado, primeiramente, para si mesma.

A formação do vínculo

Quando a formação do vínculo com os cuidadores primários, a pessoa co-dependente pode apresentar:

  • instabilidade
  • impulsividade
  • medo
  • insegurança
  • dificuldade em expressar sentimentos
  • incerteza do futuro, medo de errar
  • culpa
  • justificativa para o insucesso
  • necessidade de ser útil acompanhada de sofrimento
  • competição e disputa para sempre ter razão
  • ambivalência entre afeto, raiva e frustração
  • baixa auto-estima
  • ansiedade em querer mudar o outro e controlá-lo
  • excessiva negação
  • vitimização
  • estresse
  • indignação
  • mágoa
  • falta de afeto
  • desvalorização
  • doenças psicossomáticas
  • depressão
  • abatimento
  • mau humor
  • decepção
  • desespero e outros.

Sentimentos envolvidos na co-dependência

Além disso, a pessoa co-dependente pode passar por uma série de sentimentos, dentre os quais se destacam insatisfação, desrespeito, pena, violência, raiva, exploração, desprezo, comparação, distanciamento e abandono.

Pode apresentar dificuldade na identificação da auto-imagem, dificuldade em expressar ou identificar sentimentos, vitimização, ansiedade em relação à intimidade, além de compulsividade e distorção de limite, assumir indevidamente a responsabilidade, recorrentemente assumem relacionamentos com pessoas “conturbadas” e podem ser vítimas de vários abusos.

A relação co-dependente

Autores propõem que a relação de dependência pode ser definida por quatro elementos:

  1. Motivacional: refere-se à necessidade de suporte, orientação e aprovação.
  2. Afetivo: está relacionado à ansiedade sentida pelo indivíduo diante de situações em que precisa agir independentemente.
  3. Comportamental: a tendência de buscar ajuda dos outros e submissão nas interações interpessoais.
  4. Cognitivo: remete à percepção do sujeito como impotente e ineficaz.

Como evitar o Complexo de Cinderela?

Uma das formas de evitar o desenvolvimento do Complexo de Cinderela, os pais de filhas mulheres devem incentivar a autonomia, bem como a preparação e capacitação pessoal antes de sair de casa ou se casar. Com filhos homens, é preciso acostumá-los a ajudar nas tarefas do lar. Assim, crescerão com a ideia de que precisam ajudar suas mulheres a cuidar da casa.

Além disso, incentive seus filhos e filhas a sonharem, a terem metas de vida que, no futuro, possam aspirar em se transformar para, depois, ter uma relação de casal saudável e equilibrada.

Tratamento psicológico para a co-dependência

A abordagem psicológica para o tratamento da co-dependência é voltada para a dificuldade do indivíduo, que sofre ao chocar-se com suas mudanças emocionais e comportamentais na tentativa de melhoria na relação com o outro. Existem pessoas que passam toda uma vida relutantes à experiência angustiante do processo de separação de relacionamentos tóxicos e disfuncionais, que afetam sua resiliência.

Embora todos precisamos de afeição, proteção e sermos ajudados em certos momentos pontuais da vida, isso não deve se tornar uma regra mas, sim, uma exceção.

E você, está buscando uma formação para se capacitar em saúde mental? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!

Referências:

BUTION, D.C. & WECHSLER, A.M. Dependência emocional: uma revisão sistemática da literatura. Est. Intern. Psicol. 2016;7(1).

CARVALHO, L.S. & NEGREIROS, F. A co-dependência na perspectiva de quem sofre. Bol. psicol. 2011;61(135).

DOWLING, N. O Complexo de Cinderela. Editora Melhoramentos. 1ª edição. 2012.


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK