Neurociência para educação

12/06/2022 às 14:04 PNL

Neurociência para educação

Desde o momento em que nascemos o aprendizado torna-se algo inseparável de nossas vidas. Da primeira infância à terceira idade estamos constantemente descobrindo e retendo informações. Diante disso, aprender sobre a neurociência na educação é fundamental;

Tanto para aprendermos melhor sobre o funcionamento do nosso cérebro, quanto para melhorar abordagens de ensino e aprendizado junto aos seus alunos.

Responsável por estudar o sistema nervoso, a neurociência traz para nós conceitos que ajudam a aprimorar a forma de educação, bem como a forma como o conhecimento é passado e compreendido. 

Nesse conteúdo do IBND — Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento, vamos explicar a você, profissional da educação, tudo que é importante que você saiba sobre a neurociência na educação. 

Continue conosco para desbravar esse território tão rico a sua profissão!

O que é a neurociência na educação?

Como já dito, a neurociência é o campo científico que estuda as funcionalidades do sistema nervoso — o grande responsável pelo nosso aprendizado em diferentes etapas da nossa vida, da infância à velhice. ]

Esse campo de estudo divide-se em três pilares: neuropsicologia, neurofisiologia e neurociência cognitiva. Juntas elas têm a finalidade de compreender o funcionamento da mente humana.

O aprendizado, vale ressaltar, se enquadra dentro desses processos uma vez que ocorre dentro do sistema nervoso, que inicialmente coloca nossos sentidos para trabalhar e depois leva a informação para ser processada no cérebro. 

Para a área da educação, a neurociência permite que os profissionais compreendam a complexidade cerebral impacta pelo ambiente e, com isso, encontrem maneiras de adotar estímulos mais adequados para conduzir os processos de ensino em sala de aula.

Qual a importância da neurociência na sala de aula?

Atualmente, a neurociência vem sendo apontada como uma poderosa ferramenta na educação, tendo em vista que ajuda profissionais da educação a entenderem as características variáveis de aprendizado e as estratégias mais eficientes para cada caso. 

A seguir, confira alguns dos benefícios da neurociência na educação!

Ajuda a delimitar o desenvolvimento dos discentes

Ao coletar informações de como os estudantes aprendem em cada faixa etária, os educadores conseguem ampliar as possibilidades e estratégias para facilitar o aprendizado em sala de aula. A busca por ferramentas que facilitem a educação é essencial para uma formação de qualidade.

Possibilita adotar estratégias adequadas

O modo como cada aluno aprende é único, logo a neurociência contribui para a adoção das estratégias mais adequadas e que contemplam as necessidades de aprendizagem de uma turma. 

Reduz o estresse em sala de aula

Se um aluno enfrenta dificuldades para evoluir em uma matéria, a busca por melhorar pode lhe gerar ansiedade e estresse. Nesse sentido, a neurociência possibilita ao educador entender o estudante e quais as suas barreiras, para poder oferecer o suporte adequado e eliminar o estresse.

Os 6 princípios na neurociência na educação 

O cérebro precisa se alimentar

Para além da energia fornecida pelos alimentos e da hidratação proporcionada pela água, o nosso cérebro ainda precisa de outras fontes específicas de alimentação que se concentram especialmente em conhecimentos, informações e construção de novos saberes.

E na educação isso pode ser potencializado através do movimento corporal. Ou seja, ao experimentar atividades com os discentes em movimento, é possível potencializar o registro de informações.

O que vai em total contrapartida a educação formal que nos coloca sentados, enfileirados e sempre voltados para o professor como meros espectadores.

O sentimento de segurança é essencial para o aprendizado

No contexto de neurociência na educação, a segurança refere-se a se sentir acolhido pelas pessoas que convivem conosco. Assim, quanto maior for a sensação de comunidade, onde todos constroem saberes juntos e participam em comunhão, mais seguros nos sentiremos. 

Um exemplo bastante claro é quando nos sentimos acolhidos a ponto de fazermos perguntas sem medo do que os outros pensam. Isso porque, é a partir do sentimento de pertencimento que desenvolvemos empatia, o que melhor representa uma comunidade de conhecimento.

As relações interpessoais potencializam aquilo que é aprendido

Cultivar o relacionamento interpessoal também é um ponto essencial da neurociência na educação. Pois, é através da comunicação que trocamos experiências construtivas e complementares ao processo educacional. 

Quando conversamos com nossos colegas de sala, a partir do que entendemos, transformamos uma linguagem formal do professor em um código próprio. 

A emoção é essencial ao ensino 

Com certeza, você deve se lembrar da passagem de um filme que o emocionou bastante, certo? Isso ocorre por conta de emoções que foram sentidas no momento da experiência. Assim, podemos afirmar, que nós seres humanos temos a tendência de lembrarmos mais quando, de alguma forma, somos afetados emocionalmente.

A atenção é decisiva

De forma geral, a rotina de aulas de um estudante costuma ser cansativa. São cinco aulas de 50 minutos, de várias disciplinas, com conteúdos que pouco ou nada se interligam. Diante disso, a atenção costuma ser afetada, comprometendo o processo de retenção do conhecimento. 

Assim, a neurociência na educação revela que momentos de interação entre os discentes e o docente devem ser aproveitados para recuperar os conteúdos das aulas.  

O estímulo é essencial 

Segundo estudos, o tempo de concentração de um adolescente não costuma ultrapassar 10 minutos contínuos. No entanto, quanto mais estimulados, mais atenção chamamos e interagimos, mais aumentamos a janela de atenção. Assim, é essencial desenvolver métodos de estímulo. 

Curso de PNL: torne-se um educador ainda melhor!

Todos esses princípios da neurociência são usados dentro das ferramentas e técnicas da Programação Neurolinguística (PNL). Portanto, se você deseja aprofundar-se neste conteúdo e entender como a ciência se aplica dentro da PNL, quero convidar você a conhecer o curso de pnl do IBND!

Na formação Practitioner em PNL você terá acesso a um conteúdo prático e didático para buscar o seu desenvolvimento profissional da educação. Faça sua inscrição e transforme o seu dia a dia em sala de aula!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK