Entenda o gaslighting: um tipo de violência psicológica.

30/11/2021 às 18:44 Hipnose

Entenda o gaslighting: um tipo de violência psicológica.

Abuso que atinge de forma muito sutil, porém com consequências gravíssimas, o gaslighting trata-se de uma espécie de violência psicológico de manipulação, onde o abusador distorce, omite e cria informações para fazer com que a sua vitima duvide de si mesma, de seus sentimentos, da sua capacidade e até mesmo da sua sanidade.

Você já ouviu do seu parceiro frases como: “você está imaginando coisas” ou “você está louca(o)”, quando tudo que estava acontecendo era bastante real? 

A lista de exemplos é longa. Se você se identificou logo de cara inserido neste tipo de violência que pode gerar trauma psicológico, e até mesmo físico, sugerimos que você leia este conteúdo com bastante atenção. 

Vamos lá!

O que é gaslighting?

A palavra norte-americana gaslighting, em tradução para o português significa “manipulação”. E sua definição é exatamente esta. 

O gaslighting é uma forma de manipulação cometida por um parceiro para criar inseguranças e medos no outro. Neste tipo de violência psicológica, informações tendem a ser omitidas, distorcidas ou criadas para sustentar o abuso. 

Deste modo, a vitima passa a duvidar de si mesmo e transfere a total responsabilidade dos problemas do relacionamento para si. Em casos extremos, a pessoa pode chegar a duvidar da própria sanidade mental. 

Afinal, como ela pode ter visto algo que não aconteceu? Escutado algo que não foi falado? 

Neste tipo de violência, o parceiro abusador fará de tudo para desmerecer as suspeitas, acusando o cônjuge de estar criando conflitos desnecessários. 

Cabe lembrar, que o gaslighting pode ser praticado tanto por homens quanto por mulheres. No entanto, este comportamento costuma ser mais predominante entre a população masculina, em decorrência do machismo ainda enraizado em nossa sociedade. 

O perigo desta forma de violência psicológica 

Por ser considerado uma forma de violência psicológica, o gaslighting tem o incrível poder de ferir a psiquê da vitima de constantes manipulações. 

A medida que as acusações e manipulações crescem, a vítima vai perdendo sua autoconfiança e autoestima, e passa a se questionar o tempo todo se não está realmente louca e se não está exagerando as situações. 

Esta forma de abuso é muito poderosa na destruição do amor-próprio e na saúde mental das vítimas, tornando-as prisioneiras das relações abusivas.  

10 sinais de alerta para ficar atento

Por se tratar de manipulações bastante sutis, nem sempre é fácil identificar o gaslighting nos relacionamentos. 

Contudo, alguns sinais são bastante claros e comuns neste tipo de violência. Chegou a hora de abrir os olhos: 

  1. Mentira 

Quem pratica gaslighting mente descaradamente. E essas mentiras são usadas para levantar dúvidas na cabeça da vítima sobre seu comportamento, sua inteligência, suas emoções e até mesmo sobre seus outros relacionamentos com amigos e familiares. 

  1. Negação da realidade

O sinal de alerta mais clássico desta prática é a negação da realidade por parte do manipulador. Tudo que a vítima disser será descartado como “loucura”, “mal-entendido” e outras desculpas que farão com que a vítima duvide do realmente aconteceu. 

  1. Chantagem emocional 

A chantagem emocional tem o intuito de perturbar a vítima. O manipulador afirma que a vítima está sempre querendo fazê-lo se sentir mal, que ela não se importa com ele de verdade, e que não sabem por que continuam juntos. Resumidamente, ele irá jogar toda a responsabilidade dos seus sentimentos no outro. 

  1. Ameaça 

Ameças emocionais também são típicas de quem pratica o gaslighting. O abusador pode dizer coisas como “se você me deixar, eu vou me matar/nunca mais vai encontrar alguém que vai te querer”. Gradualmente, essas palavras entram na cabeça da vítima e a deixam com medo. 

  1. Aumento gradual das manipulações

As manipulações psicológicas não costuma acontecer de uma vez só. Elas ocorrem gradualmente. Desta forma, o manipulador não denuncia suas verdadeiras intenções e consegue conquistar sua vítima. 

  1. Incoerência 

O manipulador não segue as próprias palavras. Ele possui diversas condutas incoerentes, as quais plantam dúvidas na mente da vítima. Por exemplo, ele afirma ser uma pessoa fiel, mas demonstra ter comportamentos completamente opostos aos seus supostos valores. 

  1. Amabilidade 

Para confundir a vítima, o abusador também saber ser bastante carinhoso e amável. Tudo isso para conquistar sua “presa” sempre que ela se sente muito vulnerável. Desta forma, ele consegue criar um ciclo vicioso de agressões e interações amáveis.

  1. Exaustão mental 

A medida que a frequência de manipulações aumenta, a vítima começa a acreditar que está ficando louca, e este questionamento frequente leva a pessoa ao esgotamento mental. Consequentemente, isso faz com que a capacidade de tomar decisões seja reduzida. 

  1. Acusações descabidas

O manipulador faz acusações descabidas contra a vítima, podendo acusá-la de traição, de comportamentos inadequados, de querer machucá-lo, de ser uma pessoa ruim, entre outros. 

Mesmo que suas palavras não façam sentido, ele faz um drama para convencer a vítima. Ela, por sua vez, fica tão preocupada em se defender que não percebe os sinais.

  1. Humilhação 

Enquanto a vítima se desespera para tentar entender o que está acontecendo, o manipulador debocha do seu estado emocional e a humilha de forma sutil ou até mesmo descarada. Isso pode ser feito tanto em público quanto em momentos íntimos para desmoralizá-la ainda mais.

O gaslighting pode ir além dos relacionamentos afetivos?

Como já dito, o gaslighting pode ser praticado por qualquer pessoa: familiares, amigos, colegas de trabalho e chefes.

Um supervisor pode, por exemplo, fazer um profissional acreditar que não tem competência para assumir uma promoção no trabalho. Um familiar pode inventar um cenário totalmente incongruente para tentar escapar do mal que fez ao outro. 

O que fazer se eu for vítima?

A primeira coisa a se fazer é buscar o apoio de pessoas queridas e ajuda psicológica para reconstruir a sua autoestima, sua autoconfiança e fortalecer o seu amor próprio. 

Por se sentirem diminuídas, as vitimas do gaslighting dificilmente irão confrontar seus parceiros sem ter uma fonte de apoio que as impeçam de cair novamente na armadilha dos seus abusadores.

Em seguida, é importante conversar com o parceiro sobre o comportamento dele e expressar seus sentimentos. 

Se o cônjuge tentar fazer com que você se sinta culpado por sua infelicidade, pontue ocasiões em que acredita que ele mentiu, omitiu ou criou informações irreais. Busque fazer isso da forma menos agressiva possível. 

Ademais, a terapia pode ajudá-lo a desapegar de um parceiro abusivo e restaurar o amor próprio. O processo de afastamento do relacionamento abusivo não costuma ser fácil, por isso, rodear-se de apoio é a melhor maneira de acabar com a situação abusiva de uma vez por todas. 


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK