A síndrome do membro fantasma: os olhos não enxergam, mas o cérebro sente!

19/09/2021 às 22:07 Hipnose

A síndrome do membro fantasma: os olhos não enxergam, mas o cérebro sente!

A síndrome do membro fantasma não é uma condição psicológica, mas sim neurofisiológica na qual a parte amputada desmembra-se do corpo sem, entretanto, desmembrar-se do cérebro, causando a percepção de como se ainda existisse um membro que foi perdido por amputações acidentais ou intencionais ou fortes dores.

Desta maneira, especialistas da síndrome explicam que ela pode se manifestar de duas maneiras: sensação ou dor fantasma crônica. 

A causa para esta condição neurofisiológica se manifestar ainda é um mistério que intriga profissionais da área da saúde. E em consequência disto, não existe uma causa específica para o surgimento da síndrome e um tratamento único para curar indivíduos nesta situação.

Como funciona a síndrome do membro fantasma?

Estudos sugerem que cerca de 90% de pacientes amputados sofrem com a síndrome do membro fantasma. E este fenômeno pode estar diretamente ligado a uma falha de comunicação entre o cérebro e o corpo. 

Afinal, como sabemos o cérebro é o principal responsável por construir nossa imagem corporal. E, assim sendo, ele pode ter dificuldade em entender que o corpo perdeu uma parte de si. 

Em muitos pacientes, a parte do corpo fantasma pode ser percebida por alguns dias ou semanas após a perda, já em outros casos o indivíduo pode experimentar a sensação e dor por anos após a amputação.

Sensação do membro fantasma

Neste cenário, o sujeito ainda pode sentir o membro, mesmo após a amputação. 

Uma pessoa que, por exemplo, tenha amputado o braço e está sentado ao lado do celular, pode, involuntariamente, tentar buscar o aparelho com o braço que não está mais lá. 

Dor do membro fantasma

Por sua vez, a dor do membro fantasma é uma ilusão que verdadeiramente causa sofrimento à pessoa. Muitos paciente com esta síndrome relatam sentirem forte ardência, queimação ou até mesmo beliscões no membro amputado.

Geralmente, essa dor pode se intensificar ao longo dos anos, e tende a aparecer com mais frequência em pacientes que sofreram amputações traumáticas.

Qual o melhor tratamento para a síndrome?

Para combater a síndrome do membro fantasma, é importante contar com o auxílio de um fisioterapeuta ou qualquer outro profissional qualificado na área. Através de medicamentos, fisioterapia, acupuntura e outros tratamentos alternativos como a Hipnose, os sintomas podem progressivamente diminuirem.

A terapia do espelho pode ajudar a eliminar a sensação e dor do membro fantasma!

A terapia consiste basicamente na utilização de um espelho para evidenciar o membro não afetado, enquanto a parte amputada não se fica visível ao paciente. Os exercícios têm como objetivo fazer com que o indivíduo mobilize a extremidade saudável e que esses movimentos sejam visualizados pelo paciente através do espelho.

Essa atividade promove a impressão de que o membro afetado está se movendo sem dores e limitações, estimulando o cérebro, por meio das imagens, a ativar fibras motoras através de impulsos gerados pelo sistema nervoso, favorecendo assim a aprendizagem motora.

Em um estudo recente, pesquisadores avaliaram a terapia, medindo a atividade cerebral antes, durante e depois desse período em pessoas amputadas e sem amputações. Ao fim, foi constatado uma forte ativação na área cerebral correspondente ao órgão amputado, que não pode ser observada em indivíduos sem amputação.

Ao fim da terapia, além da redução da dor do membro fantasma, essa ativação não era mais visualizada. Os cientistas constataram que a dor foi reduzida em 46% dos casos até a terceira sessão.

Gostou deste post sobre a síndrome do membro fantasma? Siga o IBND nas redes sociais e acompanhe nosso blog!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK