Quem foi Sêneca?

16/10/2021 às 17:23 Hipnose

Quem foi Sêneca?

Um dos grandes filósofos do estoicismo, Sêneca teve importante papel na história e, atualmente, suas ideias têm dado significativas contribuições para a psicologia e diversas psicoterapias. Vem conhecê-lo conosco!

Quem foi Sêneca?

Sêneca, como era mais conhecido, ou Lúcio Aneu Séneca, nasceu em Roma no ano 4 a.C. e viveu até o ano 65 d.C. Foi um filósofo estoico e um dos mais aclamados advogados, escritores e intelectuais do Império Romano. Também foi um dramaturgo de sucesso, uma das pessoas mais ricas de Roma, um estadista famoso e conselheiro do imperador, tendo que negociar, persuadir e planejar seu caminho em meio a esse complexo contexto. Sêneca preferia filosofar com pessoas não cooperativas e poderosas, enfrentar o desastre, o exílio, a saúde frágil e a condenação à morte.

Com três anos foi enviado a Roma para estudar oratória e filosofia, período durante o qual teve sua saúde abalada pelo rigor dos estudos, após a qual foi para o Egito se recuperar e voltou à Roma por volta do ano 31, quando então deu início a sua carreira de orador e advogado, chegando rápido ao senado.

Filosofia de Sêneca

Sêneca interessava-se pela forma correta de viver a vida (a ética), a física e a lógica. Via no estoicismo uma serenidade que era sua maior virtude, a qual lhe permitiu praticar a imperturbabilidade da alma, denominada por Demócrito de ataraxia.

Dessa forma, o filósofo via no cumprimento dos deveres, um serviço à humanidade, procurando alinhar sua filosofia à prática. Vivia modestamente, comia pouco e dormia sobre um colchão duro e, para ele, o sábio não estava obrigado à pobreza, desde que o seu dinheiro tivesse sido ganho de forma honesta, no entanto, este deveria, em sua visão, ser capaz de abdicar da riqueza.

Visão de si mesmo

A partir dos escritos de Sêneca, percebe-se que o mesmo se via como um sábio imperfeito, com afetos como relutância, vontade, cobiça e receio que devem ser ultrapassados. Não indica a perda dos sentimentos, mas a superação dos afetos para não deixar que uma condição estabeleça dependência em nossa vida e, portanto, ampliando a resiliência durante o caminho.

Para o filósofo, o destino é uma realidade, o homem pode apenas aceitá-lo ou rejeitá-lo, e se aceitar de livre vontade, este gozaria de uma liberdade sem igual.

O estoicismo

A principal filosofia de Sêneca era o estoicismo, que pode ser visto como um sistema para prosperar em ambientes de alto estresse e pressão. O estoicismo nasceu na Grécia, a partir do pensador e filósofo Zenão de Cítio, ganhando grande popularidade, pois seus princípios impactaram o recentemente nascido cristianismo.

Busca ensinar a separar o que está dentro do seu controle e o que não está ao seu alcance, treinando para se concentrar exclusivamente no primeiro. Seus escritos deixam claro a possibilidade de contentar-se com o suficiente, ser emocionalmente menos reativo, mais consciente do presente e mais resiliente. Conforme a pessoa vai amadurecendo, esse treinamento da força mental facilita decisões difíceis que afetam a qualidade de vida do indivíduo para bom ou ruim.

Temas abordados pelo filósofo

Sêneca aborda a questão da busca pela felicidade, a preparação para a morte, as desilusões, a amizade e busca conjugar a qualidade de vida ao tempo escasso. Nessa busca incessante pela felicidade que vemos na sociedade contemporânea, acabamos caindo em muitas mazelas, tais como a ansiedade. Sêneca presenciou momentos difíceis, foi Senador da República e viveu durante períodos de conflitos e decadência do Império Romano. Presenciou os governos de diversos imperadores e foi tutor e conselheiro de um deles, Nero. Dessa forma, rejeita a ideia de que o homem deve se deixar levar pelas suas paixões para ser feliz, pois considerava esta uma posição de degradação do autocontrole e que o homem que vive em função da razão é mais feliz.

Sêneca e ansiedade

Sêneca buscou viver uma vida virtuosa, foi um homem inteligente, reconhecido como uma mente privilegiada de seu tempo. Sua experiência de convivência com pessoas que viviam imersas em preocupações o levou a pensar sobre o que hoje chamamos de ansiedade. Para o filósofo, não vale a pena ser infeliz antes da crise chegar, já que pode ser que seus perigos que tanto tememos nunca nos alcancem. Esse sentimento de esperar o pior sem que isso tenha acontecido é o que denominamos hoje de ansiedade, ou seja, trata da percepção subjetiva que pode nos levar a esperar o pior, vivendo em função de algo que não aconteceu. Esse exagero da imaginação ao antecipar a dor faz sofrer “à toa”, pois o simples fato de antecipá-la já nos faz ficar em companhia da mesma, ainda que esteja bem longe de chegar ou que nunca efetivamente chegue.

Profecia autorrealizadora

Sabe-se que, pelo menos com alguma frequência, conseguimos tornar realidade aquilo que tanto pensamos, e a isso se denomina “profecias autorrealizáveis”, ou seja, algumas coisas nem aconteceriam, mas com os comportamentos e bloqueios, acabamos direcionando os fatos para uma direção, tendo influência direta nos acontecimentos. Quando a profecia se realiza, pensamos que é uma confirmação do que acreditávamos desde o começo, mas na realidade é apenas uma consequência de nossas ações.

Aplicando Sêneca no dia a dia

Sêneca propõe viver o presente, o único tempo que existe, sem estar o tempo todo nos preparando para o que possa vir. Podemos deixar fluir, deixar o tempo das coisas vir e deixar os acontecimentos tomarem seu rumo. É um convite para não viver em função de tudo que poderá ser no futuro.

O filósofo nos lembra de que, para algumas pessoas, coisas como riqueza, saúde, status e poder são coisas boas para se ter e que trariam felicidade. No entanto, o verdadeiro bem seria a virtude moral, a partir da qual é possível viver completamente satisfeito sem as demais. Ser uma boa pessoa que geralmente desfruta da paz de espírito é a proposta estóica de felicidade, pois vê que as pessoas más estão necessariamente em desacordo com elas mesmas e com o mundo.

E você, ficou interessado em uma formação para promover saúde e bem estar? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK