Quem foi Jean Paul Sartre?

07/07/2021 às 20:28 Hipnose

Quem foi Jean Paul Sartre?

Um dos mais conhecidos autores do mundo, as obras de Sartre trouxeram grandes contribuições filosóficas e psicológicas, mas nem sempre se conhece essas contribuições. Veja mais sobre este autor!

Quem foi Jean-Paul Sartre?

Jean-Paul Charles Aymard Sartre nasceu em Paris em 1905 e foi um filósofo, escritor e crítico francês, conhecido por ser representante do existencialismo e por seu romance com a filósofa e escritora francesa Simone de Beauvoir. Sartre teve uma criação burguesa que lhe proporcionou boa educação e o aprendizado de idiomas e das culturas. Até os 10 anos de idade foi educado pelo avô e por preceptores em casa. Desde cedo o avô incentivou o contato com grandes escritores.

Sartre escrevia desde a infância e demonstrou ser uma criança precoce. Seus romances sobre aventuras faziam sucesso entre os familiares. Sartre era incentivado pela mãe, avó e tio, que o presenteou com uma máquina de escrever, e sua professora que via nele a vocação de escritor profissional. Seu avô era o único a não apoiar sua vocação para escritor, pois o incentivava a seguir carreira de professor de letras.

Em 1924 Sartre entra para o curso de filosofia em Paris, onde conhece sua companheira para o resto da vida, Simone de Beauvoir.

Em 1933 foi apresentado à fenomenologia de Husserl, sobre a qual Sartre fica apaixonado imediatamente se dedica aos estudos desta. A partir daí publicou romances e coletâneas de contos.

Sartre acreditava na mudança da sociedade através de um papel ativo na sociedade, era um ativista militante e apoiou causas políticas em sua vida e em suas obras. Em 1964 recusou-se a receber o prêmio Nobel de Literatura.

Principais ideias de Sartre

Com base principalmente na fenomenologia de Husserl e em Heidegger, o existencialismo de Sartre busca explicar todos os aspectos da experiência humana. Abaixo estão algumas ideias e postulações feitas por Sartre sobre a teoria existencialista:

  • Em-si: pode-se definir o Em-si como qualquer objeto existente no mundo e que não é nada além daquilo que é.
  • Para-si: sendo a consciência humana um tipo diferente de ser, por possuir conhecimento próprio a respeito de si e do mundo, é o para-si que faz as relações temporais e funcionais entre os seres “Em-si” e ao fazer isso constrói um sentido para o mundo em que vive.
  • Liberdade: o homem é livre e responsável por tudo que está à sua volta, ou seja “está condenado a ser livre”.
  • Má-fé: é uma defesa contra a angústia gerada pela consciência da liberdade, conferindo uma mentira para si próprio.

Nietzsche afirmava que já que não existe um deus que possa justificar os acontecimentos, a ideia de destino passa a ser inconcebível e o homem se torna o único responsável por seus atos e escolhas. Já Sartre define as escolhas como direcionadas por aquilo que nos apresenta ser o bem.

Assim, o homem carrega consigo a obrigação de responder pelos próprios atos, um encargo que torna o homem o único responsável pelas consequências de suas decisões, sendo que cada uma dessas escolhas promovem mudanças que não podem ser desfeitas, e isso modela o mundo de acordo com o projeto pessoal de cada indivíduo. Aqui surge uma angústia que tem origem na consciência da própria liberdade e da responsabilidade em usá-la de forma adequada.

Relação com Simone de Beauvoir

Um casal polêmico para os padrões de sua época, Sartre e Beauvoir levaram uma vida de cumplicidade e companheirismo. O relacionamento durou 51 anos e somente terminou com a morte de Sartre em 1980. Ambos eram cúmplices e colaboradores nos estudos e no trabalho.

Sartre e Beauvoir nunca formaram um casal monogâmico, eles não se casaram e tinham uma relação aberta. Ambos se correspondiam, com confidências sobre suas relações com outros parceiros. Além da relação amorosa, eles tinham uma grande afinidade intelectual, em colaborações e revisões de livros.

Primeiramente, ambos moravam no mesmo prédio, mas em apartamentos separados. Beauvoir se relacionou com outras pessoas, incluindo homens e mulheres, e Sartre relacionou-se com outras mulheres, em um acordo estabelecido entre elas. Essa forma de relacionamento levantou grandes polêmicas na época, principalmente pelas relações extraconjugais.

Por um lado o charme intelectual, encantador, extrovertido e bem humorado de Sartre, e por outro a inteligência, sagacidade e beleza de Simone combinavam de forma única.

Convivência em Sartre

Para Sartre, o homem por si só não pode conhecer-se em sua totalidade. É somente através dos olhos de outras pessoas é que se consegue se ver como parte do mundo. Sem a convivência, a pessoa não pode perceber-se por inteiro e nem ressignificar os aprendizados anteriores. A convivência é capaz de trazer a

certeza de que se está fazendo as escolhas desejadas.

Principais obras de Sartre

Dentre as principais obras de Sartre, podemos elencar:

  • A náusea: primeiro romance publicado por Sartre, apresentando o esqueleto do existencialismo. É uma espécie de diário de viagem do personagem principal, que vaga pelas ruas de uma cidade enquanto vive situações inusitadas e reflete, por meio dessas situações, sobre a existência e a condição humana.
  • O ser e o nada: livro ápice de Sartre, com uma explicação mais clara do que consiste o existencialismo. Nessa obra, o autor recorre a vários pensadores da história da filosofia, como Heidegger, Husserl, Jaspers e Kierkegaard, além de uma face nietzschiana e materialista.
  • O existencialismo é um humanismo: obra com o intuito principal de defender as críticas feitas por marxistas que o acusaram de elitismo e descompromisso com a causa marxista.

Saúde de Sartre

O quadro de Sartre ao final da vida envolvia diabetes, hipertensão e problemas circulatórios que causaram um glaucoma que o deixou quase totalmente cego. A partir daí sua saúde foi ficando fragilizada e o filósofo sofria de terríveis dores e agonia, até sua morte em 1980.

Sartre foi um dos maiores pensadores da história e agora você o conhece!

Quer saber mais sobre abordagens em autoconhecimento e saúde? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK