Psicologia ambiental

17/10/2021 às 11:06 Hipnose

Psicologia ambiental

A psicologia é um campo diverso e que estuda as relações entre comportamento e ambiente. Você conhece a psicologia ambiental? Vem dar uma olhada!

O que é psicologia ambiental?

A Psicologia Ambiental nasceu como Psicologia da Arquitetura depois da Segunda Guerra Mundial, mobilizada pela reconstrução das cidades. Essa reconstrução não poderia incluir apenas fatores estéticos, mas as necessidades psicológicas e considerar os comportamentos dos ocupantes. Com o tempo ela passou a ter um caráter multidisciplinar recebendo contribuições da psicologia, geografia humana, sociologia urbana, antropologia, planejamento e arquitetura. Por ter recebido contribuições de outros campos encontramos vertentes diferenciadas em Psicologia Ambiental, como a de caráter comunitário ou a que se ocupa em estudar temáticas, como por exemplo, o espaço físico construído (antrópico) e/ou natural, construindo um discurso sobre a inter-relação pessoa-ambiente.

Histórico da psicologia ambiental

A Psicologia Ambiental (PA) não tem um passado muito longo, podendo ser datada da década de 1960, com um ápice entre 1967-1973, mas denota uma ativa preocupação quanto ao seu futuro. Ao final dos anos 1980, vários estudiosos já se debruçavam sobre a constituição da PA em seus respectivos países. Assim, a psicologia ambiental constitui uma interdisciplina cheia de promessas conceituais e empíricas para aqueles que desejam transcender as áreas tradicionais de conhecimento e aplicação da psicologia e se aventurar no estudo de novas relações oferecidas por outras disciplinas.

A relação entre pessoa e ambiente

Com relação à interação entre pessoa e ambiente, reconhecer os elementos que compreendam a subjetividade humana e suas relações com o ambiente e posteriormente com a organização, pode flexibilizar o imaginário de que uma atitude negativa só ocorre por que um lado da relação se encontra numa posição de poder mais favorável do que outro. Ao se reconhecer que ambos os lados podem ser pró-ambientais ou não, e que essa postura é construída por processos psíquicos; abre-se espaço para a observação de que existem comportamentos arraigados e ideias persistentes sobre o meio ambiente. E essas se constroem devido a hábitos e reforçadores positivos. Esse tecido mental pode enfraquecer a construção de condutas mais responsáveis frente ao meio

ambiente. Além disso, há elementos pessoais e culturais comuns às pessoas de um determinado local que não são observados em outras pessoas de outros lugares e que produzem os mais diferentes comportamentos e entendimentos sobre a temática ambiental.

Influências do meio ambiente no comportamento

A influência do meio ambiente no comportamento tem sido expressa com diferentes ênfases, dando origem a pelo menos três concepções: determinismo ambiental, possibilismo ambiental e probabilismo ambiental.

A modalidade de psicologia ambiental que focaliza seu interesse no comportamento determinado ambientalmente, oferece avanços tecnológicos interessantes evidenciados em termos de design ambiental, uma vez que o comportamento é uma função ordenada das condições ambientais, os arranjos na conformação física do comportamento imediato do contexto, eles afetariam para configurá-lo em uma direção ou outra.

Ambientes restauradores

Estudos evidenciam e concordam sobre a influência dos ambientes para a saúde humana, por meio de diferentes condições antecedentes e por intermédio de diferentes processos. A restauração do estresse é um processo que ocorre quando a recuperação ou renovação dos recursos psicológicos, fisiológicos e sociais foi comprometida, tendo em vista as transformações e exigências da vida cotidiana. Assim sendo, o processo de restauração pode ser promovido ou permitido pela presença de ambientes restauradores, isto é, um lugar que suscite interesse, aprazibilidade e calma.

Comumente associado em investigações sobre ambientes restauradores, o significado ambiental é compreendido pelas reações que as pessoas exprimem frente aos ambientes, de acordo com os significados construídos anteriormente em conexões com o meio.

Atua como um modelo de comunicação não verbal, em que a pessoa identifica, interpreta e atribui sentido aos aspectos físicos e sociais que fazem parte da sua experiência de vida e, uma vez que tais informações são codificadas e esses aspectos se repetem, os mesmos sentidos são evocados, podendo conduzir seus modos de ação sobre o meio.

Restauração do estresse

Assim, restaurar o estresse se trata do retorno à normalidade dos aspectos psicofisiológicos alterados pelas demandas diárias, como por exemplo a restauração da resiliência e da motivação. Importante destacar que tais reações são fortemente mediadas pelas características visuais do ambiente, que, por sua vez, evocam respostas emocionais positivas e limitam distrações negativas, restabelecendo equilíbrio ao sistema psicofisiológico alterado pelo estresse.

Design ambiental

O design ambiental pode ser entendido como uma área de estudo e aplicação, preocupada com o estudo das condições necessárias para iniciar e manter as atividades humanas, bem como desenvolver mecanismos de intervenção nessas condições para gerar as mudanças desejadas, tanto pela manipulação ou configuração de estruturas físicas, como por meio do fornecimento de processos de solução de problemas e tomada de decisão com enfoque em melhor qualidade de vida. Nessa perspectiva, entende-se por ambiente aquelas condições físicas (incluindo o ambiente natural e o ambiente construído) e as condições sociais nas quais os seres humanos se comportam e com as quais se relacionam.

Ambiente como instrumento terapêutico

O ambiente físico constitui em si mesmo um instrumento terapêutico e que, portanto, pode ser manipulado para alterar a natureza e a distribuição do comportamento de um hospital psiquiátrico. Dessa forma, o ambiente físico pode gerar novos padrões de atividade voltados para a estruturação de interações adaptativas entre as pessoas.

Também pode-se implementar a manipulação intencional de elementos físicos do ambiente (iluminação, cor do contexto, ruído, temperatura e arranjo espacial) com o objetivo de otimizar o comportamento no trabalho e melhorar os níveis de produtividade dos funcionários. Assim, a psicologia ambiental se desvela como uma importante abordagem para estudo dos impactos dos contextos na saúde mental e na psique de seres humanos.

E você, está buscando uma forma de promover maior satisfação e bem estar na sua vida e na dos demais? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!

Referências:

ROTH, E. Psicología ambiental: interfase entre conducta y naturaleza. Rev Cienc Cult. 2000.

SILVEIRA, B.B. & KUHNEN, A. Psicologia ambiental e saúde na relação pessoa-ambiente: uma revisão sistemática. Psi UNISC. 2018.

TEIXEIRA, A.C.S. et al. A psicologia ambiental como possibilidade de mudança de conduta dos colaboradores das organizações no que se refere ao comprometimento com a implementação dos sistemas de gestão ambiental ABNT NBR ISO 14.001:2015. ConReSol. 2020.


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK