O que é cronobiologia?

30/10/2021 às 14:57 Hipnose

O que é cronobiologia?

Você conhece a ciência que estuda os ritmos biológicos? Vem dar uma olhada sobre cronobiologia e a importância de ter um ritmo adequado!

O que é cronobiologia?

A cronobiologia é a área ou braço da ciência que investiga a organização temporal periódica, expressa em horas, dias, meses ou anos, das funções fisiológicas e comportamentais e, portanto, dos ritmos biológicos, assim como das propriedades e mecanismos gerais dos seres vivos. Assim, essa disciplina permite entender os desafios temporais a que estamos constantemente expostos, contribuindo para a reflexão e desenvolvimento de estratégias de enfrentamento a partir de soluções que abarquem a saúde biopsicossocial.

A história da cronobiologia

A cronobiologia é uma disciplina científica recente, apesar de os primeiros relatos empíricos de ritmos biológicos datarem do século 16. Esta surge como disciplina científica em 1960, quando o astrônomo francês Jean-Jacques De Mairan fez o primeiro relato científico de um fenômeno temporal-cíclico observado em um ser vivo, através de comunicação à Academia Real de Ciências de Paris.

Experimentos com plantas permitiram a observação da marcação da hora do dia por mecanismos endógenos, permitindo a observação da influência direta das flutuações de luz ou calor do ambiente. No terreno médico, a primeira manifestação de fenômeno cronobiológico foi a tese de doutoramento de Virey, na França, sobre variações circadianas da temperatura em pessoas sãs e doentes. Charles Darwin, em publicação de 1880, dizia que os movimentos das plantas se devem a propriedades inerentes a elas próprias.

Entendimento ao longo do tempo

A cronobiologia vem crescendo, extraindo evidências e amplificando seu campo de atuação desde seus primeiros relatos. Ao longo do tempo, foi ficando claro que a variações biológicas e alterações são dependentes de mecanismos próprios do organismo, que guardam relação com o tempo, mas são independentes do mesmo. Tudo perpassa um mecanismo ‘aprendido’ e relacionado ao tempo, sendo que a luz e outros fatores externos guardam relação com fenômenos internos. Além disso, descobriu-se que há a transmissão hereditária da marcação temporal dos ritmos biológicos, observada em estudos com espécies de feijão.

A importância da ritmicidade

A ritmicidade biológica ou ritmo biológico é de importância fundamental para a sobrevivência de uma espécie, pois auxilia e promove a adequação dos processos fisiológicos e das funções orgânicas ao meio ambiente, que é expresso em ritmos devido ao ciclo claro-escuro ou através das estações do ano.

Os ritmos biológicos podem ser considerados o aparecimento recorrente e regular de eventos fisiológicos, morfológicos e comportamentais, antecipando-se a fatos externos por força de mecanismos genéticos selecionados ao longo da evolução. Assim, o referencial temporal pode variar muito e podemos ter ritmos:

  • Circadianos: período aproximado de um dia, mais ou menos 24 horas;
  • Ultradianos: com período menor que 20 horas;
  • Infradianos: com período maior que 28 horas;
  • Circanuais: período aproximado de um ano;
  • Circalunares: período aproximado de uma lunação;
  • Circasseptanos: período aproximado de uma semana;
  • Circamarés: período aproximado de 12 horas.

Sistema de temporização circadiano

O chamado sistema de temporização circadiano é um conjunto de estruturas e mecanismos capaz de gerar o ritmo circadiano endogenamente (internamente) através de uma estrutura neural chamada núcleo supraquiasmático (NSQ). O núcleo supraquiasmático é atualmente reconhecido tanto como o principal marcapasso dos mamíferos quanto como um sincronizador interno que permite diferentes níveis de sincronização dos ritmos fisiológicos do nosso organismo. O sistema de temporização circadiano, além de sincronizar o ritmo com pistas temporais do ambiente externo ao ciclo das 24 horas (claro-escuro), mantém a ordem temporal interna (os ritmos de sistemas e órgãos de um organismo em relações de fases estáveis entre si) (ALMONDES, 2013).

O ritmo circadiano

Os ritmos circadianos, ou seja, com duração aproximada de um dia (24 horas) são os ritmos biológicos mais estudados atualmente. Como exemplos, temos os regimes repouso-atividade e sono-vigília que estão relacionados à expressão clínica de uma série de doenças, variações de processos metabólicos e componentes orgânicos.

Os ritmos ultradianos, com período menor que 20 horas, são menos conhecidos por não apresentarem marcadores conhecidos na atualidade.

Pistas temporais

Eventos ambientais periódicos tais como os horários de trabalho, de estudo, de lazer e outras atividades sociais são pistas temporais ambientais, além do ciclo claro-escuro, capazes de sincronizar o sistema de temporização circadiano no ser humano, mantendo-o conectado ao meio externo. Esses eventos sincronizadores podem entrar em conflito com a fase, ou seja, o momento determinado de expressão do ritmo biológico. Os horários de trabalho são exemplos de fortes sincronizadores, pois os esquemas de trabalho em empresas e indústrias não se limitam apenas aos horários diurnos, mas estendem-se aos horários noturnos e aos finais de semana, afetando a qualidade de vida de seus funcionários..

Psicologia da saúde e cronobiologia

A psicologia da saúde é uma área que se beneficia na relação interdisciplinar com a cronobiologia, pois esta traz uma compreensão da dimensão temporal do organismo. A cronobiologia demonstra que, em função das dessincronizações entre ritmos biológicos e demandas sociais (como a escola, por exemplo) trazem alterações biopsicossociais. Assim, a psicologia da saúde visa auxiliar o indivíduo no processo de saúde-doença a partir de uma visão integral, contribuindo para a identificação precoce de pessoas em situações de risco e na promoção de comportamentos mais saudáveis e adequados, ainda que diante de desafios que podem alterar essas funções.

Assim, a cronobiologia vem contribuindo para a promoção de saúde e resiliência em diversas áreas da ciência e da saúde em geral.

E você, gostaria de se capacitar para promover saúde e bem estar? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!

Referências:

ALMONDES, K.M. Psicologia da saúde e cronobiologia: diálogo possível? Psicol. cienc. prof. 2013;33(3).


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK