Como ensinar resiliência às crianças?

12/11/2021 às 18:05 Hipnose

Como ensinar resiliência às crianças?

Você sabia que não apenas adultos passam por traumas, mas também crianças? Como evitar esses traumas? Ensinar resiliência é uma das formas. Vem dar uma olhada!

O que é resiliência?

O termo resiliência originou-se da física e da engenharia e é recentemente aplicado à área de Ciências Sociais e Humanas. Assim, um material é resiliente quando a energia de deformação máxima que ele é capaz de armazenar não gera nele deformações permanentes. Na analogia, a psicologia atribui a resiliência à tensão pressão que ocorre entre uma situação de risco, estresse ou experiências adversas e as respostas finais de adaptação.

A resiliência não é algo inato, adquirido geneticamente. Ela pode e deve ser ensinada e estimulada para que os indivíduos possam recuperar-se da experiência de trauma, dor ou até mesmo situações como ansiedade e insegurança, sendo capazes de sair da situação mais fortes do que entraram.

Os tipos de resiliência

Autores declaram que existem três tipos de resiliência:

  1. Resiliência emocional: relaciona as experiências positivas que levam a sentimentos de autoestima, autoeficácia e autonomia, que capacitam a pessoa a lidar com mudanças e adaptações, obtendo um repertório de abordagens para a solução de problemas.
  2. Resiliência acadêmica: engloba a escola como um lugar onde habilidades para resolver problemas podem ser adquiridas com a ajuda dos agentes educacionais.
  3. Resiliência social: envolve fatores relacionados ao sentimento de pertencimento, supervisão de pais e amigos, relacionamentos íntimos, ou seja, modelos sociais que estimulem a aprendizagem de resolução de problemas.

Resiliência: um escudo protetor?

Autores salientam que a resiliência não pode ser considerada como uma espécie de escudo protetor, que fará com que nenhum problema atinja essa possa, tornando-a rígida e resistente a todas as adversidades. Uma pessoa não é resiliente, ela está resiliente. Assim, a resiliência é um processo dinâmico e as influências do ambiente e do indivíduo se interrelacionam reciprocamente, fazendo com que o indivíduo identifique qual a melhor atitude a ser tomada em dado contexto.

Fatores de risco e proteção da resiliência

A resiliência envolve fatores de risco e proteção. Veja cada um deles abaixo:

  1. Fatores de proteção: são as influências que modificam ou melhoram a resposta de uma pessoa a algum perigo que predispõe a um resultado não adaptativo, e que parecem mudar ou reverter circunstâncias potencialmente negativas. Relações parentais satisfatórias, disponibilidade de fontes de apoio social, autoimagem positiva, crença ou religião, são considerados fatores de proteção. Os fatores de proteção também podem ser divididos em três classes: atributos pessoais, laços afetivos do sistema familiar e contextos sociais que dão suporte durante a adversidade, como a escola e o local de trabalho.
  2. Fatores de risco: são variáveis que aumentam a probabilidade de desadaptação do sujeito diante de uma situação de perigo

Além disso, pesquisadores definiram fatores resilientes em quatro categorias: “eu tenho” e “eu posso”, “eu sou” e “eu estou”.

Características das pessoas resilientes

As pessoas resilientes apresentam características básicas, tais como autoestima positiva, habilidades de dar e receber em relações humanas, disciplina, responsabilidade, receptividade, interesse, tolerância ao sofrimento e muitas outras.

Por que ensinar resiliência às crianças?

Não é somente adultos que passam por momentos traumáticos e difíceis de lidar. Crianças também absorvem e sofrem com a realidade à sua volta, o que lhes deixa suscetíveis a vivenciar momentos de dificuldade, dor e sofrimento.

Como ainda estão em processo de desenvolvimento das habilidades de linguagem e expressão, o aprendizado da forma de se expressar de forma clara é um processo que ocorre ao longo do desenvolvimento.

Assim, deve-se ensinar resiliência para que a criança possa, por meio dessa habilidade emocional de transformação e superação, recuperar-se da experiência do trauma.

Como ensinar resiliência para crianças?

Existem muitas formas de ensinar resiliência para crianças, mas a principal é através do exemplo. A escola e a família devem andar juntas no processo de desenvolvimento da resiliência infantil e é fundamental que ambas caminhem juntas para proporcionar um ambiente seguro para a criança.

Veja abaixo algumas outras dicas para ensinar resiliência às crianças:

  • Não satisfaça todas as vontades da criança e incentive-a a resolver sozinha alguns desafios próprios da sua idade;
  • Não superproteja seus filhos em uma bolha além do necessário;
  • Ensine que errar faz parte da experimentação e, ao errar, deve-se começar de novo;
  • Não dê respostas prontas, desafie a criança a pesquisar e demonstre que são capazes de descobrir suas próprias soluções;
  • Escola e família devem trabalhar juntas para proporcionar um ambiente seguro para a criança;
  • Aposte em brincadeiras e leituras que despertem o senso de pertencimento, além de separar momentos específicos para ouvir o que a criança tem a dizer;
  • Mantenha uma rotina para que a criança sinta que tem controle, limites e que conseguem entender e prever o que acontecerá ao longo do dia, o que incentiva a elaborar e planejar suas próprias ações;
  • Elogie seus esforços e construa a autoestima da criança a partir da demonstração de que ela é valorizada e reconhecida por seu esforço e dedicação;
  • Chame a atenção para sua criatividade, bem desempenho e esforço em concluir tarefas;
  • Apresente histórias de personagens reais ou fictícios que superam dificuldades em seu caminho;
  • Discutir com as crianças as dificuldades superadas no processo de aprendizagem e as ajudas recebidas durante o caminho;
  • Estimule o pensamento positivo diante dos problemas, ajudando a criança a enfrentar adversidades com otimismo; além de muitas outras.

Assim, pode ser que a criança não lembre como desenvolveu a resiliência, mas poderá lembrar de momentos difíceis e como estes foram encarados com força de vontade e persistência incentivados pela família, pela escola e pela comunidade da qual participa.

E você, gostaria de se capacitar para promover saúde mental e resiliência? Aprenda Hipnose Clínica sem sair de casa!

Terapeuta e hipnólogo, você busca uma ferramenta para potencializar os resultados com seus pacientes e, assim, gerar mais satisfação? Deseja ressignificar fobias e traumas? Quer utilizar os recursos da mente a seu favor? Faça nosso curso de hipnose online!

Referências:

ANGST, R. Psicologia e resiliência: uma revisão de literatura. Psicol. Argum. 2009;27(58).


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK