As modalidades e submodalidades da PNL

29/05/2021 às 01:12 PNL

As modalidades e submodalidades da PNL

Em contexto amplo, as modalidades e submodalidades da PNL referem-se ao modo como os nossos pensamentos são formados. Ou seja, através de quais sentimentos nossos pensamentos estão sendo processados, construídos e representados.

Pense bem: quando você se lembra de uma determinada situação que viveu ou simplesmente imagina uma situação, tenho certeza de que algum sentimento é despertado, promovendo mudanças em sua mente e, por que não, até mesmo em seu físico.

A seguir, neste artigo do Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento (IBND), vamos falar de forma mais aprofundada sobre as modalidades e submodalidades da PNL para que você entenda com propriedade esta ferramenta tão em voga entre os profissionais terapeutas. Continue sua leitura!

O que são as modalidades e submodalidades da PNL?

Na PNL (Programação Neurolinguistica) as modalidades são nada mais nada menos que os cinco sentidos humanos, ou seja, a visão, o olfato, o paladar, o tato e a audição. Enquanto as submodalidades são as características intrínsecas a cada um desses sentidos.

Chamamos os nossos sentidos de modalidades, pois os nossos sistemas biológicos e neurológicos separam os receptores que irão receber e reter as informações que recebemos do mundo exterior.

Mas para que você entenda melhor as submodalidades da PNL, pense na modalidade como uma pedra e as submodalidades como os materiais que compõe a pedra.

Cada modalidade possui submodalidades. Dentro de todas as modalidades temos a chamada auditivo digital que correspondem àquelas pessoas que usam boa parte do tempo conversando consigo mesmas, num diálogo interno.

Podemos descrever uma imagem como sendo preta, branco ou colorida. Um som como sendo grave ou agudo; as sensações podem ser diferentes em cada parte do nosso corpo ou ter temperaturas diferentes; o sabor pode ser doce ou amargo e o cheio agradável ou forte.

Essas distinções acerca dos nossos sentidos são as chamadas submodalidades e são elas que definem as qualidades das nossas representações internas que são subjetivas e apenas nossas.

As submodalidades das modalidades da PNL 

Em geral, os especialistas em PNL costumam trabalhar apenas com três modalidades – visual, auditiva e cinestésica (sistema VAC). E dentro da modalidade cinestésica estão englobados os sentidos do paladar, tato e olfato.

Algumas das submodalidades mais comuns são:

  • A visão: preto, branco ou colorido; perto ou longe; brilhante ou opaco; tamanho da imagem; focado ou desfocado; em movimento ou imóvel; rápido, devagar ou normal, etc.
  • A audição: alto ou suave; perto ou longe; interna ou externa; ligeiro ou devagar; agudo ou grave; ritmo; clareza; pausas, etc.
  • A cinestesia: forte ou fraco; leve ou pesado; macio ou áspero; constante ou intermitente; quente ou frio; tamanho; formato; pressão; vibração, etc.

É importante lembrar que apesar dos nossos pensamentos serem constituídos por modalidades e suas submodalidades, não significa que você irá se lembrar e usar todos os seus sentidos em uma lembrança.

Quando nos lembramos de experiências estamos usando apenas algumas modalidades que são feitas com submodalidades, logo, aquilo que está em nossa mente não é o real, mas apenas uma representação.

Sendo assim, as submodalidades podem ser treinadas e invertidas. Para uma mesma situação desagradável, por exemplo, cada um de nós pode enxergar de uma forma, ou seja, enquanto você pode enxergar aquela lembrança em preto e branco, outra pessoa pode enxergar a lembrança com o máximo de cores e detalhes.

Como a PNL produz mudanças rápidas?

Dentro do contexto das representações internas da PNL, na qual incluem-se as submodalidades, é possível curar traumas de infância e promover mudanças comportamentais como fazer alguém gostar de um determinado alimento  que precisa comer por recomendação médicas, ou deixar de protelar tarefas, por exemplo.

E como isso pode ser feito? Através da alteração de submodalidades e dá seqüência em que estas estão organizadas para disparar respostas inadequadas.

Vamos a um exemplo: suponha que uma criança tem medo de cachorros e queira superar este padrão. A PNL pode intervir de forma a mudar o timbre de sons emitidos pelos cães para o timbre da voz do Scooby Doo ou então diminuir a imagem do cachorro.

A ideia aqui é fazer mudanças de tal maneira que a mente aceite e registre esta nova representação interna no lugar de outra!

Quer aprender a usar as técnicas e ferramentas únicas da Programação Neurolinguistica? Conheça a formação de Practitioner em PNL do IBND (Instituto Brasileiro de Neurodesenvolvimento)!


Conheça mais:

Rodrigo Huback

Rodrigo Huback Head Trainer de Practitioner PNL, Master PNL, Método B2S e Hipnose Clínica

Mais de 12 anos dedicados ao desenvolvimento humano; Mais de 18 anos empreendendo em alta performance; Pedagogo; Master Trainer em PNL; Master Trainer em Coach; Membro Trainer de Excelência na NLPEA; Membro Trainer da ANLP; Trainer Comportamental; Hipnoterapeuta.


Gostou de nosso post? Compartilhe:


Todos os Direitos Reservados ®

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

OK